Produtores agrícolas perdem até 10% da safra por problemas com temperatura e umidade - Revista Capital Econômico
Mais do que uma simples leitura: é informação relevante, confiável e que gera conexão!

Produtores agrícolas perdem até 10% da safra por problemas com temperatura e umidade

Prejuízo pode ser evitado com projetos sob medida, como portas automáticas e outros equipamentos

O fluxo intenso de movimentação de máquinas e pessoas em grandes empresas agrícolas pode representar uma perda considerável da produção no Brasil.

Somado a outros fatores, como falhas no manuseio, controle de temperatura e umidade, a falta de um espaço adequado para armazenamento representa uma perda de até 10% da produção de grãos, segundo a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Embrapa.

Culturas como milho, soja, café e outras dependem diretamente das condições climáticas, tanto para seu cultivo, quanto para sua durabilidade depois da colheita.

Por isso, para Giordania R. Tavares, diretora executiva da Rayflex – maior referência nacional na produção de portas rápidas no Brasil e América Latina para a indústria -, é preciso ter em mente que o espaço de armazenamento deve garantir as condições ideais para cada tipo de produto.

“Mais do que isso, é importante entender que, mesmo com a tecnologia que temos hoje, produtores agrícolas continuam tendo prejuízos que podem ser consideravelmente reduzidos por ferramentas inteligentes, como o uso de portas automáticas, por exemplo”, revela.

Em casos de galpões instalados em locais abertos, um problema comum é a incidência de vento. Embora possa parecer inofensivo, o vento forte pode impulsionar a propagação de pragas, que em poucas semanas podem destruir as safras.

Pensando nisso, a Rayflex recomenda a porta Vectorflex, uma solução desenvolvida para ambientes externos e que suporta ventos de até 60km/h.

“Esta é uma opção desenhada para espaços de grandes dimensões e com um alto fluxo de entrada e saída de pessoas, sendo ideal para proteger contra a umidade da chuva, poeira e pragas”, revela Giordania.

Além de atuar como uma espécie de barreira sanitária, as portas automáticas têm um papel fundamental na segurança dentro do ambiente de trabalho.

Em locais em que o trânsito de pessoas e máquinas é constante, é preciso estar em alerta para evitar acidentes. Para isso, a Rayflex disponibiliza equipamentos, como radar, fotocélula, semáforo, entre outros, que visam a segurança do usuário.

Sobre a Rayflex

Criada em 1988, a Rayflex Industrial é líder do mercado nacional de portas industriais com fabricação nacional, atuante em todos os estados do Brasil e em alguns países da América Latina nas indústrias alimentícias, farmacêuticas, automobilísticas, metalúrgicas, agronegócio, além de armazéns e centros de distribuição (logística), especializada em porta rápidas, portas para docas e niveladores de docas, desenvolvidos especialmente para isolamento e proteção dos mais variados ambientes industriais. Para mais informações: https://rayflex.com.br

agro-seca (1) (1) (1) (1)

Comentários estão fechados.