5 startups que podem minimizar os efeitos causados pelas chuvas no Brasil

Levantamento de aceleradas da Troposlab aponta startups que podem contribuir com minimização dos efeitos das chuvas no Brasil, além de evitar que eles ocorram

0
105
efeitos-causados-pela-chuva

São Paulo, fevereiro de 2020 – Todo início de ano, as notícias sobre desastres em decorrência das chuvas que atingem as cidades no Brasil nos alertam sobre como estes problemas poderiam ser evitados e os danos causados poderiam ser minimizados. A atribuição de responsabilidade para o governo é o mais comum por parte da população que sente na pele os prejuízos destas catástrofes.

Mas será que existe alguma tecnologia capaz de evitar que as chuvas destruam tanto as cidades brasileiras? A resposta para esta pergunta pode estar dentro do ecossistema de startups e inovação e até mesmo no conceito de inovação aberta, em que empresas privadas e instituições entendem sua responsabilidade social e atuam de forma conjunta para diminuir os efeitos de desastres como estes.

Para isso, a Troposlab fez um levantamento com cinco startups aceleradas que possuem capacidade e tecnologia para atuar de forma preventiva nestas situações.

Monitoramento de chuvas
A Instarain é uma startup mineira que monitora áreas de chuvas e alagamentos, enviando alertas customizados para quem se cadastrar na plataforma. Desta forma, o usuário recebe um aviso sobre precipitações e áreas de risco para evitar. Além disso, ela oferece informações com históricos e gráficos que apontam dados estatísticos com períodos e datas com mais índices de chuva. Também é possível cadastrar locais preferidos para receber notificações sobre o clima daquele local em determinado momento.

Gerenciamento de resíduos sólidos urbanos
Para esta questão, a Troposlab indica três projetos que trabalham com o gerenciamento de resíduos em empresas privadas. O primeiro é o NetResíduos, uma plataforma que faz um diagnóstico com consultores ambientais, de acordo com a lista brasileira de Resíduos Sólidos do IBAMA.

Outra startup que atua nesta área é a Destine Já, que oferece planos para gestão de resíduos a partir de R$ 49,90. Ela também se compromete a plantar uma árvore a cada tonelada de resíduos destinados.

A última é a Aterra Ambiental que está há três anos atuando no desenvolvimento de estratégias para a gestão e destinação de resíduos. A startup faz um mapeamento de possíveis novas economias e mercados para o gerenciamento de resíduos.

Além dos benefícios ambientais, o gerenciamento e a destinação correta de resíduos promovem uma economia financeira.

Monitoramento de barragens
As catástrofes que ocorreram em Brumadinho e Mariana nos lembram o quão importante é o monitoramento recorrente de estruturas de barragens. Neste sentido, a Intelltech dispõe de tecnologia que consegue reduzir os riscos de catástrofes ainda maiores em épocas de chuva. A Intelltech realiza coleta de dados, monitoramento em tempo real, análise de riscos e previsão, por meio de sistemas tecnológicos inteligentes.

Segundo Pedro Teixeira, cofundador e Diretor de Aceleração da Troposlab, é preciso que o poder público reflita sua responsabilidade e entenda a importância de iniciativas de inovação aberta, uma vez que trabalhar em conjunto com startups, por exemplo, pode evitar que desastres naturais aconteçam com tanta frequência, em decorrência das chuvas.

“Talvez seja hora dos governos organizarem momentos de co-construção para discutir como tratar a questão das chuvas, o maior, senão único, grande desastre natural que ocorre todo ano no Brasil. Fica aqui a sugestão, para que ao invés de tentar resolver esses problemas sozinhos, prefeituras e governos estaduais e federal organizem iniciativas para pensar juntos em soluções”, afirma Teixeira.

Sobre a Troposlab
A Troposlab é uma aceleradora de negócios, projetos e pessoas criada em 2012 por Renata Horta, Paulo Renato Cabral e Pedro Teixeira dentro do Instituto Inovação, grupo pioneiro em gestão de inovação no Brasil e na América Latina composto, ainda, pela gestora de investimentos Inseed e pela consultoria Inventta. Em 2016, Nathália Tavares, que atuava como agente de aceleração da Troposlab desde 2014, foi anunciada como sócia da empresa.

A aceleradora desenvolve programas de inovação que atendem desde empresas que estão em estágio inicial, com as quais são trabalhados processos que envolvem mudança de cultura e transformação digital, até as que se encontram em estágio mais avançado, que já estão prontas para incorporar programas de startups ou de capacitar a própria equipe para desenvolver e gerenciar projetos e soluções inovadoras internamente. Dentre as empresas que já passaram pelos programas de inovação desenvolvidos pela Troposlab, estão grandes marcas como Nestlé, Roche e Mercedes-Benz.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Digite seu comentário
Digite seu nome aqui