12 Mulheres que estão fazendo a diferença à frente de negócios de impacto social - Revista Capital Econômico
Mais do que uma simples leitura: é informação relevante, confiável e que gera conexão!

12 Mulheres que estão fazendo a diferença à frente de negócios de impacto social

O protagonismo feminino no mundo empresarial é um tema recorrentemente discutido, sobretudo no contexto político-econômico nacional.

Para as mulheres, em especial, ter o seu próprio negócio é um desafio constante e diário. Cerca de 9,3 milhões de mulheres estão à frente de negócios no Brasil e elas já são 34% das líderes em negócios.

É o que mostra a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNADC), realizada pelo IBGE, em 2018.

Entre inúmeras dificuldades, as mulheres são as que mais inovam no mercado e seguem como grandes motores da economia dispostas a combater o problema da diversidade de gênero no mundo empresarial.

Levando a potência feminina de empreender para o mercado financeiro, trazemos nomes que conquistam, cada vez mais, seus espaços no mundo dos negócios.

Conheça 12 empreendedoras que contribuem para mudar o quadro econômico nos setores empresariais e organizacionais:

Laura Salles e Viviane Elias Moreira – Fundadoras da Edtech Plurie br

As duas empreendedoras que dividem a paixão pelos avanços em inclusão lançaram recentemente a Plurie br, uma edtech que oferece educação contínua e acessível com o objetivo de empoderar, incluir e apoiar a diversidade em empresas de todos os portes e tornar os ambientes de trabalho mais inclusivos.

Com educadores especialistas nos temas, chamados de transformadores plurais, e valores acessíveis, a plataforma oferece cursos, workshops, e rodas de conversa, além de apoio psicológico e de advogados que atuam no compliance preventivo e anti discriminatório das empresas e organizações.

Marta Celestino – CEO da Escola Premium Ebony English School

Com mais de 25 anos de experiência em multinacionais nas áreas financeira e marketing, Marta Celestino atua na Ebony English School, pioneira no ensino de inglês com cultura negra.

A escola que há 13 anos vem inovando o ensino de idiomas mesclando a diversidade e a tecnologia, com a proposta de promover o empowerment, a partir do ensino da língua inglesa, auxiliando no resgate cultural da população negra ao ensinar o novo idioma com base na história e cultura afro diaspórica.

Atualmente, atende alunos em mais de 16 cidades do Brasil, além de estudantes internacionais.

Clariza Rosa e Helena Gusmão – Co-fundadoras da agência SILVA

As publicitárias Clariza Rosa e Helena Gusmão são sócias da agência criativa e produtora SILVA. A agência estabelece uma nova forma de comunicação sobre o Brasil real dentro do mercado publicitário, dando visibilidade e oportunidade para grupos sub representados como a população negra, periférica, mulheres de todos as formas, a comunidade LGBTQIA +, pessoas PCD, entre outros.

Em seu portfólio empresarial possui grandes projetos publicitários como Salon Line, Itaú, Spotify, Maybelline, Sallve, Mover, Riachuelo, Farm e Coca-Cola. A SILVA aposta na criatividade e pluralidade brasileira.

Adriana Barbosa, fundadora da Feira Preta e CEO da PretaHub

Fundadora da Feira Preta, a maior feira de cultura negra da América Latina, e CEO da PretaHub, um hub de criatividade, inventividade e tendências pretas, Adriana já recebeu inúmeros reconhecimentos pelo seu trabalho de quase duas décadas, entre eles, o Troféu Grão do Prêmio Empreendedor Social e o Prêmio CLAUDIA.

Em 2017 entrou na lista dos 51 negros com menos de 40 anos mais influentes do mundo, segundo o Most Influential People of African Descent (Mipad). Atualmente está envolvida nos projetos Afrolab, Coalizão Éditodos, Festival Pretas Potências, Festival Feira Preta, Conversando A Gente Se Aprende e Afrohub.

Adriana Mallet, CEO e co-fundadora da SAS Brasil

Adriana é médica especialista em inovações para o acesso à saúde e atuou como médica socorrista do SAMU durante 10 anos. Hoje, se dedica à SAS Brasil, startup social co-fundada por ela, em 2013, com o objetivo de democratizar o acesso à saúde em localidades em situação de vulnerabilidade social.

Atualmente, a empreendedora é mestranda profissional na área de Inovação em Saúde no Hospital de Câncer de Barretos e está desenvolvendo o primeiro software para a realização de diagnósticos de câncer de colo de útero remotamente, com telecolposcopias – projeto vencedor do World Summit Award 2021.

Sabine Zink – Diretora e uma das co-fundadoras da SAS Brasil

Consultora, especializada em gestão de pessoas, Sabine ministra treinamentos corporativos em grandes empresas do país. Na SAS Brasil, criou a área da Alegria e coordena a área de equipes de voluntários.

Com formação em Coaching e Programação Neurolinguística, desenvolve treinamentos em empresas com elementos focados em comunicação e gestão de mudanças.

Fernanda Ribeiro, CCO da Conta Black e Presidente da AfroBusiness

Co-fundadora da Conta Black, primeira conta digital criada por negros no Brasil, que é focada em promover o acesso a serviços bancários da população desbancarizada, Fernanda também é fundadora da Associação Afrobusiness Brasil.

Formada em turismo e pós-graduada na área de comunicação corporativa, a empreendedora atuou em empresas multinacionais do segmento aéreo nas áreas de qualidade, e-commerce, experiência do cliente, treinamento e comunicação interna.

Dedica-se ao desenvolvimento de programas para fomento da diversidade, inclusão econômica e social relacionados às temáticas de gênero e raça, no empreendedorismo.

Natalie Melaré – Fundadora e Presidente do Instituto Devolver

Natalie era executiva na área de Marketing, atuando em diversas grandes empresas, quando no ano de 2018 decidiu que era hora de recomeçar e se dedicar a sonhos importantes: mudar a educação no Brasil, transformar a realidade de jovens e adolescentes e auxiliar projetos sociais e ONGs.

Foi assim que a empreendedora social criou o Instituto Devolver, uma organização sem fins lucrativos para apoiar crianças e jovens em situação de vulnerabilidade. Atualmente, o Devolver já arrecadou mais de R$ 1,5 milhão, impactou mais de 15 mil crianças, apoia 60 instituições e possui 15 empresas parceiras.

Gabriela Chaves, economista e fundadora da NoFront – Empoderamento Financeiro

Fundadora da NoFront – Empoderamento Financeiro, plataforma de educação financeira que tem como objetivo democratizar o acesso à economia para pessoas pretas e periféricas, Gabriela trabalhou por 5 anos no mercado financeiro em empresas como a Cetip e a B3, e percebeu o grande abismo que existe no acesso à educação financeira, principalmente, para grupos socialmente minorizados.

Para mostrar que investimentos podem e devem ser feitos por todos, desde a dona de casa ao trabalhador assalariado, em 2018, a economista fundou a NoFront, que já formou mais de 5 mil pessoas do Brasil e do exterior, em educação financeira.

Rachel Maia

A contabilista já ocupou a presidência das multinacionais Pandora, Tiffany & Co. e Lacoste. Hoje, preside a RM Consulting, consultoria especializada em diversidade e inclusão, e acabou de tornar-se conselheira do Grupo Soma.

Por meio do projeto Capacita-me, promove o desenvolvimento e o crescimento de pessoas em situação de vulnerabilidade.

Rachel, além de presidir também o Conselho Consultivo da Unicef Brasil, dedica-se a mentorias, integrando grupos de mulheres que apoiam mulheres, além de ser colunista de veículos como as revistas Forbes, Raça e Claudia, e da página de conteúdo da XP Investimentos.

Comentários estão fechados.