O que são criptomoedas
Mais do que uma simples leitura: é informação relevante, confiável e que gera conexão!

O que são criptomoedas

Entenda o que são as criptomoedas e o seu funcionamento.

As chamadas criptomoedas são, em suma, moedas digitais, ou dinheiro virtual, como algumas pessoas as chamam.

Esses ativos são criados por uma rede digital chamada blockchain e não são controlados por bancos ou governos, sendo assim classificados como ativos descentralizados.

Por não passarem por um controle monetário tradicional, essas moedas podem ser negociadas “sem deixar rastros”, o que tem mobilizado algumas autoridades.

Hoje existem milhares de tipos de criptomoedas no mercado e algumas têm alcançado grande valor, como é o caso do Bitcoin e do Ethereum.

Vale destacar que a maioria desses ativos podem ser trocados por “dinheiro de verdade” e então usados para adquirir bens de uma forma mais tradicional.

Como é que funcionam as criptomoedas no mercado financeiro?

Para entender o funcionamento das criptomoedas é necessário, em primeiro lugar, entender como elas são geradas.

Cada tipo de moeda virtual possui uma fonte, mas em sua maioria elas surgem a partir de dados criptográficos que são gerados na internet.

A partir disso, são alocadas para carteiras virtuais que servem como cofres, as chamadas exchanges.

Algumas exchanges, por sua vez, também possibilitam a negociação das criptomoedas, onde usuários também podem depositar dinheiro comum e comprar os criptoativos.

Com a ajuda das exchanges, os internautas podem também transferir criptomoedas para outros internautas a fim de pagar por um produto ou serviço, por exemplo.

Dessa forma, as criptomoedas se consolidam cada vez mais como opções viáveis ao dinheiro tradicional.

Para que servem as criptomoedas?

Como foi dito anteriormente, hoje em dia as criptomoedas servem principalmente como moeda de troca por produtos e serviços.

No entanto, nos primórdios da mineração elas eram dadas apenas como pagamento para os chamados mineradores de blockchain.

Muitos destes, inclusive, hoje em dia são possuidores de várias unidades de Bitcoin e de outras grandes criptomoedas.

Hoje em dia existem ainda muitos investidores que compram criptoativos “para guardar”, visto que a grande volatilidade no mercado das moedas digitais permite bastante valorização.

O Bitcoin, por exemplo, hoje custa centenas de vezes mais do que quando apareceu, em 2008.

5 principais criptomoedas do mercado

Seja por valor agregado, circulação ou popularidade, esses criptoativos ajudaram o mercado de criptomoedas a chegar a ser o que é hoje.

1- Bitcoin (BTC)

O Bitcoin é a primeira criptomoeda a surgir no mercado, criada ainda em 2008.

Uma única unidade dessa moeda virtual chegou a valer em 2021 mais de 350 mil reais, o que é estarrecedor.

2- Ethereum (ETH)

O Ethereum, negociado sob a sigla ETH, é também uma importante moeda virtual.

Ela surge de uma plataforma dentro da blockchain que facilita a compra e venda de outras criptomoedas, sendo assim um elemento importante no mercado cripto.

3- Binance Coin (BNB)

A Binance Coin, ou apenas BNB, é a moeda virtual da Binance, a maior exchange do mundo.

Essa organização atua como uma verdadeira bolsa de valores de criptoativos, possibilitando a negociação e guarda de diversos títulos.

Hoje em dia, dada a importância da Binance, o BNB tem ganhado uma enorme importância e valorização.

4- Dogecoin (DOGE)

O Dogecoin teve um início inusitado. Isso porque, poucas pessoas sabem, mas essa criptomoeda foi feita para ser um meme.

Felizmente para os seus investidores, o meme ganhou popularidade e hoje em dia a criptomoeda é famosa e muito negociada, tendo chamado a atenção até mesmo do atual homem mais rico do planeta, o bilionário Elon Musk.

5- Litecoin (LTC)

O Litecoin tem toda a sua estrutura baseada nos parâmetros usados para a criação do Bitcoin, sendo utilizada como uma forma de pagamento segura.

Já chegou a valor mais de 1 mil reais e segue bastante negociada nas exchanges.

Vantagens e desvantagens de investir em criptomoedas

As principais vantagens das criptomoedas, são:

  • Facilidade no acesso e na negociação
  • Não são controladas por bancos (descentralização)
  • Estão livres de impostos e do fisco (pelo menos por enquanto)
  • São asseguradas pelo sistema da blockchain
  • Podem passar a valer muito dinheiro em pouco tempo

Já as desvantagens que os criptoativos apresentam, são:

  • Alto risco de desvalorização 
  • Alvos fáceis para golpistas e hackers
  • Não possuem garantias governamentais, como moedas oficiais e títulos emitidos por governos centrais

Leia também:

6 dicas para começar a investir em criptomoedas

As criptomoedas mais promissoras de 2022

Comentários estão fechados.