VLT do Rio de Janeiro completa 5 anos de operação - Revista Capital Econômico
Mais do que uma simples leitura: é informação relevante, confiável e que gera conexão!

VLT do Rio de Janeiro completa 5 anos de operação

Com conceito de mobilidade inteligente, veículo fabricado pela Alstom já levou 73 milhões de passageiros em mais de 760 mil viagens na cidade

Ao completar 5 anos de operação neste mês de junho, o VLT (sigla para Veículo Leve sobre Trilhos) do Rio de Janeiro contabiliza números representativos da sua importância para a mobilidade na capital carioca.

Neste período, o modal fabricado pela Alstom contabilizou o transporte de mais de 73 milhões de pessoas em mais de 760 mil viagens, com total de 4 milhões de quilômetros percorridos pelo Centro da cidade e a região do Porto Maravilha, integrando-se a à mobilidade da cidade com metrô, trens suburbanos, ônibus, navios, barcas e o aeroporto Santos Dumont.

Quando teve encomendada a fabricação dos trens pelo consórcio VLT Carioca em 2013, a Alstom escolheu o VLT Citadis, que é 100% livre de catenárias (sistema de distribuição e alimentação elétrica aérea), o que preserva à paisagem da cidade. Essa, inclusive, foi a segunda cidade do mundo a usar essa tecnologia, depois de Dubai, nos Emirados Árabes Unidos.

Com conceito de mobilidade inteligente, o modal conta com o APS (Alimentação Pelo Solo), um sistema de propriedade da Alstom que faz a alimentação elétrica do VLT pelo solo.

Trata-se de um sistema composto por duas sapatas localizadas na parte de baixo do trem e, quando o veículo passa pelo local onde estão instalados equipamentos Power Box (cerca de 1.100) se dá a energização dos correspondentes segmentos de trilho APS e a consequente alimentação do veículo.

Existe ainda um conjunto de supercapacitores que armazena e fornece energia ao veículo nos locais sem os trilhos energizáveis ou quando de uma falha localizada, até o próximo ponto de energização, o que elimina a necessidade de fios externos e, consequentemente, valorizando a arquitetura e a paisagem da cidade.

Essa é uma tecnologia lançada pela primeira vez em Bordeaux, na França, no início dos anos 2.000, e já foi implantada em outras várias cidades ao redor do mundo.

Os trens utilizados na cidade carioca também utilizam energia totalmente renovável, com zero emissão de CO2.

Para Pierre Bercaire, diretor geral da Alstom Brasil, o VLT trouxe mais opção de mobilidade à vida do carioca.

“A Alstom comemora os cinco anos do VLT carioca sabendo que, diariamente, milhares de passageiros têm a vida melhorada graças a este sistema de transporte. Durante esse período, assumimos um compromisso com a cidade do Rio de Janeiro e trabalhamos para manter essa operação inovadora e que gera benefícios para as pessoas, tanto moradores como turistas que circulam pela cidade”, comenta Bercaire.

Inaugurado para as Olimpíadas do Rio de Janeiro de 2016, a estrutura é dividida entre três linhas (com 29 paradas) e possui uma frota de 32 trens com capacidade para 420 passageiros cada. “O VLT permite que a cidade desenvolva uma mobilidade sustentável, além de repensar e modernizar áreas urbanas e preservar a herança arquitetônica”, complementa o executivo.

Sobre a Alstom

Liderando comunidades para um futuro de baixo carbono, a Alstom desenvolve e comercializa soluções de mobilidade que fornecem as bases sustentáveis para o futuro do transporte.

O portfólio de produtos da Alstom varia de trens de alta velocidade, metrôs, monotrilhos e VLTs a sistemas integrados, serviços personalizados, infraestrutura, sinalização e soluções de mobilidade digital.

A Alstom possui 150.000 veículos em serviço comercial em todo o mundo. Com a entrada da Bombardier Transportation na Alstom em 29 de janeiro de 2021, a receita pró-forma combinada do Grupo ampliado chega a € 14 bilhões para o período de 12 meses encerrado em 31 de março de 2021.

Sediada na França, a Alstom agora está presente em 70 países e emprega mais de 70.000 pessoas. www.alstom.com

Comentários estão fechados.