Mais do que uma simples leitura: é informação relevante, confiável e que gera conexão!

BTG Pactual destina R$ 9 milhões para crédito social, com juros revertidos para o terceiro setor

Banco vai reinvestir os 6% de juros da linha de crédito concedida a nano e micro empreendedores para fomentar ações do terceiro setor

Em mais uma ação da campanha #NumerosQueImportam, o BTG Pactual (BPAC11), maior banco de investimentos da América Latina, acaba de anunciar que irá reverter para o terceiro setor, todo o valor proveniente dos juros pagos por nano, micro e pequenos empreendedores que receberam a linha de crédito concedida pelo Banco com o objetivo de minimizar os efeitos da crise causada pela pandemia do coronavírus.

Em ação inédita, o Banco concedeu um crédito de R$ 9 milhões para microempresários, com taxa de 6% ano. Esses juros, que serão recebidos pelo BTG Pactual em até 24 meses, serão integralmente reinvestidos em ações do terceiro setor. No total, mais de meio milhão de reais serão revertidos pelo banco para projetos apoiados pela campanha #NumerosQueImportam .

Para viabilizar a iniciativa, o BTG Pactual utilizou toda a infraestrutura do BTG+ business, plataforma digital de soluções para pequenas e médias empresas.

Entre alguns dos parceiros do BTG Pactual nesse projeto estão organizações sociais como o Grupo Mulheres do Brasil – com a iniciativa Fundo Dona de Mim, Gerando Falcões e a fintech de pagamentos JUSTA , que estão disponibilizando a sua base para os recursos chegarem a quem precisa. A iniciativa deverá beneficiar 1.000 mulheres empreendedoras, 1.000 nano empreendedores de algumas das favelas mais vulneráveis do país e nano empreendedores de todo o Brasil.

No caso das mulheres empreendedoras, os créditos provenientes dos juros serão reaplicados por meio da rede do Grupo Mulheres do Brasil. Para nano e pequenos empreendedores das favelas, os créditos serão revertidos em parceria com a Rede Gerando Falcões. E para o restante dos nano e pequenos empreendedores de todo o Brasil, a reaplicação dos créditos será feita em parceria com as fintechs JUSTA, InoveBanco e Gazit.

“Nosso objetivo com esse reinvestimento é fomentar ações e projetos sociais do terceiro setor. Além disso, pretendemos continuar apoiando os nano, micro e pequenos empreendedores que desempenham papel fundamental para a retomada e para o futuro da economia”, diz Roberto Sallouti, CEO do BTG Pactual.

O projeto de crédito social é mais uma ação do BTG Pactual em meio à pandemia viabilizada pela infraestrutura do BTG+ business, sua plataforma de soluções para MPMEs. O banco apoia diversas iniciativas solidárias e de negócios para o combate à Covid-19, que podem ser acompanhadas pela campanha #NumerosQueImportam .

Fundo Dona de Mim

Um dos parceiros do BTG Pactual no projeto, o Grupo Mulheres do Brasil é idealizador do Fundo Dona de Mim – fundo de crédito criado por mulheres com o objetivo de impulsionar microempreendedoras individuais (MEI) impactadas pela crise da Covid-19. O BTG Pactual vai doar R﹩ 3 milhões para distribuição de crédito para 1.000 mulheres empreendedoras (R﹩ 3 mil para cada empresária). Nesse caso, o BTG Pactual também não terá lucro sobre as taxas de juros recebidas. Além disso, o banco planeja um programa de voluntariado com o seu público interno, para estimular colaboradoras a serem acolhedoras dessas empreendedoras.

Sobre o BTG Pactual

O BTG Pactual (BPAC11) é o maior banco de investimentos da América Latina e atua nos mercados de Investment Banking, Corporate Lending, Sales & Trading, Wealth Management e Asset Management. Desde sua criação, em 1983, o BTG Pactual tem sido administrado com base na cultura meritocrática de partnership, com foco no cliente, excelência e visão de longo prazo. A instituição se consolidou como uma das mais inovadoras do setor, tendo conquistado diversos prêmios nacionais e internacionais. Atualmente, conta com quase 3 mil colaboradores em escritórios espalhados pelo Brasil, Chile, Argentina, Colômbia, Peru, México, Estados Unidos, Portugal e Inglaterra. Para mais informações, acesse http://www.btgpactual.com

Sobre a JUSTA

A JUSTA é uma fintech que atua nos segmentos de meios de pagamento e oferta de crédito fácil, rápido e justo. Tem como diferenciais taxas justas, transparência e atendimento local. Em apenas dois anos de existência cresceu exponencialmente e já tem presença em todos estados do Brasil. Para mais informações, acesse http://www.justa.com.vc

Sobre a Gerando Falcões

A Gerando Falcões é uma plataforma de desenvolvimento social, presente em centenas de favelas no Brasil. Trabalhamos em rede para acelerar o poder de impacto de líderes de periferias que possuem um sonho comum: colocar a desigualdade social das favelas no museu. Ajudamos o Brasil a criar um futuro para sua gente.

Sobre a Gazit Brasil

A Gazit Brasil é uma empresa subsidiária do Grupo Gazit-Globe que opera, administra e desenvolve Shopping Centers ao redor do mundo.

O grupo chegou ao Brasil em 2008 e é um dos principais líderes internacionais no segmento imobiliário. Tem como principal foco empreendimentos que atendam às necessidades do dia-a-dia, principalmente ativos ancorados por supermercados localizados em mercados emergentes. Além disso, a empresa também opera centros médicos na América do Norte.

Atualmente, a Gazit Brasil está presente em São Paulo, Guarulhos e Campinas (SP), com um total de seis propriedades: Morumbi Town Shopping, Shopping Light, Internacional Shopping, Mais Shopping, Top Center Shopping e Prado Boulevard. O Grupo também possui participações nos Shoppings Cidade Jardim e Shopping Eldorado.

Sobre o Grupo Mulheres do Brasil

O Grupo Mulheres do Brasil é um movimento suprapartidário, que reúne mais de 65 mil mulheres que sonham e trabalham voluntariamente por um Brasil melhor. É organizado em Núcleos localizados em diversas cidades brasileiras e também no exterior.

Entre as pautas prioritárias estão a valorização da Educação – um direito fundamental da cidadania; o combate à violência contra a mulher – é inadmissível que uma mulher seja vítima de feminicídio a cada duas horas em nosso país; igualdade racial – o racismo estrutural é um problema de toda a sociedade, o grupo é antirracista e atua em prol da redução da desigualdade racial e de gênero em todas as esferas; defende o Sistema Único de Saúde – SUS, a saúde é um direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e públicas.

Como participar: todas as mulheres são bem-vindas, basta cadastrar-se pelo site http://www.grupomulheresdobrasil.com.br.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.