Mais do que uma simples leitura: é informação relevante, confiável e que gera conexão!

Os desafios dos fornecedores do setor de energia durante e pós-pandemia

Por Roberto Karam Júnior

0 47

A crise causada pelo novo coronavírus tem afetado muitas áreas da vida das pessoas, na saúde, no trabalho, na renda e até mesmo na forma de se relacionar, que foi totalmente ressignificada.

Falando em relacionamento, este é um dos maiores desafios que as empresas têm hoje, pois devido ao “rebuliço” causado pela crise humanitária, mais do que nunca os empresários precisam se articular com o setor, com o governo e com seu maior patrocinador, ou seja, o cliente nosso de cada dia e neste cenário fica mais evidente a dependência da sociedade moderna pela eletricidade, presente em nosso dia a dia.

De uma forma direta nos hospitais (para operar ventiladores e outros equipamentos médicos), nos meios de comunicações entre os diversos atores reinventando a forma de se relacionar com os clientes através de tele e vídeo conferências.

Leia Também: Alta do dólar: desespero de alguns e a verdadeira mina de ouro para outros. Como preservar pequenas e médias empresas?

Nós da KRJ, como um dos atores do setor de energia elétrica, também estamos tendo que enfrentar as adversidades deste caminho.

Apesar de nossa matéria prima ser de origem nacional (metais e resinas plásticas) tem seus preços atrelados ao Dólar e LME – London Metal Exchange, no caso dos metais, e os preços destes insumos básicos têm sofrido fortes oscilações.  Temos ainda que conciliar o atendimento à demanda dos clientes do nosso setor frente à decisão de suspensão temporária do regime de trabalho dos fornecedores de matéria-prima que entraram, sem prévio aviso, em férias coletivas impactando nosso planejamento gerando perdas financeiras com multas por atraso além do prejuízo no atraso das obras a serem executadas e que garantem o pleno fornecimento da energia aos clientes consumidores.

Temos nos mantido focados para a busca de alternativas e soluções para ultrapassar este e outros obstáculos e amenizar possíveis prejuízos, permanecemos próximos aos nossos parceiros para a continuidade da manutenção ao atendimento aos nossos clientes e cumprir com as responsabilidades com os colaboradores que, assim como nós, estão lutando contra a crise.

Vale ressaltar que temos como objetivo salvaguardar o compromisso com nosso consumidor, conscientes do papel estratégico que a empresa tem na cadeia do setor de distribuição de energia elétrica. Além disso, adotamos a transparência com todos os nossos fornecedores seja de ferramentas ou de insumos, que fazem com que nossa produção continue firme, com isso, temos vencido o desafio das contas e pagamentos, cumprindo com os deveres orçamentários, o que faz com que não tenhamos nenhuma renegociação e dispensa de fornecedor. Por conta desta maneira ávida com que levamos nossas obrigações, esperamos reciprocidade dos clientes e parceiros.

Assim como os negócios em todo o mundo, buscamos nos adaptar aos novos métodos que, obviamente, estão surgindo e ainda surgirão nos próximos meses devido à Covid-19 e manter os colaboradores engajados e produtivos, com o objetivo de manter a saúde financeira, por isso, mantemo-nos atualizados e ágeis, para que possamos adotar estratégias seguras dentro da produção, como já fizemos desde o início da pandemia, preocupando-se com a vida de quem faz a empresa se movimentar.

É importantíssimo que as empresas, de qualquer setor, consigam utilizar a tecnologia a seu favor neste momento recessão e distanciamento social. Hoje, existem diversas ferramentas virtuais que possibilitam o relacionamento à distância com fornecedores, clientes e parceiros, independentemente do país e linguagem. Precisamos ter em mente que, daqui para frente, muitos conceitos antigos serão revisados e somente gestores concentrados em se adaptar e aderir a novas metodologias poderão continuar a gerar lucros. E isso vale para o nosso setor.

Contudo, é necessário abrir os olhos para outros obstáculos que teremos pela frente e compreender situações que precisamos enfrentar, como a dificuldade na entrega da matéria-prima, incertezas, retenção de câmbio, demanda de exportação, competitividade, fortalecimento da marca e gestão, remodelagem corporativa e revisão de processos. Tais adversidades podem vir de uma vez, como também podem ocorrer de forma branda, tudo dependerá de como é feita a gestão na empresa e também a administração do governo.

A situação requer muita sabedoria e responsabilidade. Ressalto que é necessário estarmos cientes das perdas e prejuízos, mas com a certeza que esta pandemia irá passar. Por isso, nós como empresários digo que precisamos fazer nossa parte e nos esforçarmos para cumprir a parte que nos cabe na cadeia produtiva do setor elétrico. Além disso, unir esforços é importantíssimo para combater erros graves e descompromissos assumidos.

Nós da KRJ vemos na responsabilidade e transparência a metodologia de sairmos ilesos desta crise humanitária e econômica, cumprindo com todas as nossas obrigações financeiras, legais e humanas.


*Roberto Karam Júnior é diretor comercial da KRJ

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.