Mais do que uma simples leitura: é informação relevante, confiável e que gera conexão!

Neste mês do amigo, conheça a história empreendedora desses dois amigos

Como esses amigos metaleiros fundaram uma das maiores redes de franquias de intercâmbio do país

O amor pela música e a independência precoce uniu esses dois amigos do Sul do país. Ambos, com 16 anos, saíram de casa para batalhar pelo próprio sustento.

Mesmo Eduardo, que teve o apoio e poderia trabalhar com os pais, preferiu lutar sozinho para conseguir se manter em Tubarão, Santa Catarina.

Na outra ponta, cerca de 400 km de Tubarão, vivia Alexandre, na cidade de Videira, também em Santa Catarina. Eles se encontraram na UFPR (Universidade Federal do Paraná), no curso de Comércio Exterior.

Eduardo Heidemann e Alexandre Argenta se conheceram no ano que Taffarel defendeu o gol da Copa, em 1994, e não imaginavam da importância do curso de Comércio Exterior para a vida empresarial que iriam construir.

“A formação de Comércio Exterior nos aproxima de outros países, idiomas e culturas. Não imaginávamos o quanto a nossa graduação iria ser importante no negócio de intercâmbio que iríamos criar mais tarde. Esse é um dos pontos, muito similar, entre eu e o Alexandre: acreditamos na educação, e que tudo, tudo mesmo que se aprende, pode ser aproveitado. Até mesmo as frustrações”, relembra Eduardo Heidemann, Diretor da rede Travelmate.

Por falar em frustração, o que motivou Alexandre Argenta a criar a rede de intercâmbio, Travelmate, com o colega de faculdade Eduardo, foi justamente um episódio frustrante. Antes de fazer a graduação, na UFPR, Alexandre era tenista, e sonhava em ser profissional.

Por isso, fez um intercâmbio para os Estados Unidos, no estado do Novo México, para abrir portas no esporte de alto rendimento. Competiu pela sua escola e já estava no top 5 do estado.

Estava treinando e pronto para jogar as finais em que os técnicos estariam presentes para avaliar e oferecer bolsas de estudos nas universidades aos melhores tenistas.

Alexandre seguia bem na competição quando recebeu a notícia que não poderia competir nas finais do torneio.

“Depois de ter competido contra duas grandes escolas da principal cidade do Estado do Novo México, nos últimos confrontos da temporada, que decidiram as classificações das finais estaduais, as quais ganhei com folga todos os jogos, recebi a notícia que não poderia competir nas finais. O motivo: a empresa americana responsável pelo meu intercâmbio não tinha um determinado registro (documento) que permitisse aos intercambistas competirem oficialmente na equipe principal da escola. Ironicamente quem assumiu minha vaga como número 1 foi um intercambista francês, Nicholas, meu grande amigo. A empresa responsável pelo intercâmbio dele tinha toda a documentação correta para o credenciamento”, relembra Alexandre Argenta.

Após este episódio frustrante que impediu Alexandre de seguir como tenista de alto rendimento e fazer a faculdade nos Estados Unidos, ele decidiu que iria se debruçar sobre documentações e vistos para intercâmbio.

Para que nenhum outro brasileiro passasse pela mesma situação, fez o curso de Comércio Exterior, conheceu Eduardo, e desde o início da faculdade trabalhou em agências de intercâmbio.

Nesses 27 anos de amizade, surgiu a Travelmate, rede de intercâmbio e turismo com 50 unidades no país. O processo para se tornar franquia foi feito de forma madura.

A Travelmate foi criada em 2002 e só entrou no sistema de franchising em 2008. “Foram 6 anos de muito estudo sobre o modelo de franquias e para a consolidação da nossa marca. Quando estávamos preparados, com um excelente treinamento para franqueados, começamos a operar neste modelo”, explica Alexandre Argenta, Diretor da rede.

De 2002 para 2021, 25 Mil intercambistas já foram embarcados pela Travelmate, a rede é associada da Belta (Associação das Agências de Intercâmbio no Brasil) que concede o selo Belta apenas a rede de agências idôneas e que comprovem a qualidade e saúde financeira, e tem como carros- chefes, dos programas de intercâmbio, os seguintes serviços: Cursos no exterior, High School, Work & Travel, Au Pair, e Higher Education.

Nesses 19 anos, Alexandre Argenta e Eduardo Heidemann aprofundaram os seus conhecimentos sobre documentos, vistos e etc para que os brasileiros pudessem conseguir cumprir os seus objetivos no exterior: seja de se tornarem atletas de alto rendimento, mudar com as suas famílias para um país seguro e/ou desbravar outras culturas na adolescência.

Seja lá qual for a meta do intercambista, os diretores da rede, treinaram mais de 200 colaboradores, entre funcionários da franqueadora e franqueados , para sanar todas as dúvidas e dar todo o suporte antes, durante e após o intercâmbio.

“O time da Travelmate leva muito dos valores que eu e o Alexandre carregamos. Temos o compromisso social de gerar empregos justos para um número cada vez maior de pessoas. Além disso, temos o dever de democratizar o acesso à experiência internacional. Por isso, os nossos programas de intercâmbio cabem no bolso e trazem a segurança de sermos uma agência Selo Belta. Principalmente em um cenário de pandemia, como o atual, em que é preciso estar atento às mudanças diárias de cada país – destino” evidencia Eduardo Heidemann.

Mesmo na pandemia, a Travelmate faturou em 2020, 22 milhões de reais, e tem a previsão de crescimento de 15% em 2021.

Isso porque muitos países já estão abrindo as fronteiras para os estudantes e pesquisadores brasileiros, como foi o caso dos Estados Unidos em Maio de 2021.

Além disso, é possível adquirir alguns programas de intercâmbio com o valor congelado de 2020, parcelado, e com possibilidade de embarque mais para frente. O que aproxima o sonho do brasileiro de viajar.

“Compensa, e muito, fechar o intercâmbio antes do segundo semestre deste ano. Isso porque os valores ainda estão pré-fixados com a tabela de 2020, o estudante já pode ir fazendo o curso de inglês , 100% gratuito e disponibilizado pela Travelmate, e tem a possibilidade de embarque já neste segundo semestre. Ele não perde o que comprou e ainda paga mais barato. Não podemos prometer este mesmo cenário, no segundo semestre, já que as vacinas já estão em um ritmo maduro em outros países. O que aumentará a demanda pelos programas a partir de agosto”, esclarece Argenta, Diretor da Travelmate.

Eduardo Heidemann e Alexandre Argenta tem como meta o crescimento da Travelmate junto com os colaboradores em 2021, e uma esperança de até o final do ano: irem a mais um show de rock juntos. O que a música e o intercâmbio uniu, nada separa.

Para saber mais sobre como ter uma franquia da Travelmate e/ou fechar um programa de intercâmbio, acesse: https://www.travelmate.com.br

Sobre a TravelMate

Criada há 19 anos, a Para saber mais sobre como ter uma franquia da Travelmate e/ou fechar um programa de intercâmbio, acesse:tem como objetivo promover a educação internacional, por meio de vários programas de intercâmbio que atendem pessoas em todas as fases da vida.

O foco está em proporcionar segurança, atendimento e suporte durante toda a vivência desse intercambista em outro país.

Como única rede de franquias de intercâmbio e turismo comandada por Alexandre Argenta e Eduardo Heidemann, toda a equipe, das 50 unidades do Brasil, são treinadas regularmente para promover qualidade de vida aos que embarcam com a TravelMate e para que a experiência de trabalhar na TM seja satisfatória para todos(a).

Foram mais de 25 mil vidas transformadas pela rede TravelMate, 25 mil projetos tirados do papel, 25 mil embarques para o exterior.

A rede ainda é associada da Belta – Associação das Agências de Intercâmbio do Brasil- que existe há 26 anos e é a única associação que tem como foco certificar com o Selo Belta agências confiáveis no setor de intercâmbio, por meio de um processo cuidadoso de análise financeira, técnica e ética das agências. Atualmente, as agências especializadas Selo Belta representam 75% do mercado de educação internacional.

Comentários estão fechados.