Lojas Renner se compromete em reduzir emissões absolutas de gases do efeito estufa - Revista Capital Econômico
Mais do que uma simples leitura: é informação relevante, confiável e que gera conexão!

Lojas Renner se compromete em reduzir emissões absolutas de gases do efeito estufa

Companhia estabelece meta climática baseada na ciência e já aprovada pela Science Based Targets Initiative (SBTi)

Enquanto celebra o avanço de sua estratégia de sustentabilidade e intensifica as iniciativas para aumentar o conhecimento do público sobre o tema, a Lojas Renner também se concentra em finalizar a estruturação do seu novo ciclo de compromissos públicos que irá formalizar as ambições da Companhia na área para os próximos anos.

Em mais uma evolução, a varejista já antecipa uma de suas metas relacionadas a mudanças climáticas que, pela primeira vez, é baseada na ciência e foi aprovada pela Science Based Targets Initiative (SBTi).

A meta está alinhada com os pontos mais recentes estabelecidos pela ciência climática para o cumprimento dos compromissos do Acordo de Paris, que limita o aquecimento global bem abaixo de 2°C, acima dos níveis pré-industriais, e busca esforços para frear o aquecimento a 1,5°C.

A Lojas Renner submeteu a meta à aprovação da SBTi, iniciativa mundial do Carbon Disclosure Program (CDP), Pacto Global das Nações Unidas, World Resources Institute (WRI) e World Wide Fund for Nature (WWF), que propõe métricas matemáticas para calcular a jornada de redução de emissões de GEE (gases do efeito estufa) até o Net Zero.

Com isso, na prática, a Lojas Renner se compromete em reduzir as emissões absolutas de gases do efeito estufa, de escopo 1 (emissões diretas da Companhia) e 2 (emissões indiretas através do consumo de energia elétrica), em 46,2% até 2030 – se comparado ao ano base de 2019, atendendo ao desejo de limitar o aquecimento da temperatura do planeta em 1,5°C.

Além disso, a Companhia também firma o compromisso de reduzir as emissões de GEE de escopo 3 (outras emissões indiretas) relacionadas a bens e serviços adquiridos, em 75% por peça de vestuário e calçados dentro do mesmo prazo, alinhado ao cenário climático bem abaixo a 2ºC.

“Há anos olhamos com atenção para as questões envolvendo as mudanças climáticas, tanto que acabamos de anunciar o atingimento de um primeiro ciclo de compromissos públicos que incluía metas relacionadas ao tema. Esta nova meta aprovada pela SBTi é ambiciosa e materializa nosso comprometimento em ser um agente transformador na evolução de toda a cadeia de moda e, consequentemente, expandir o impacto para a sociedade”, afirma o gerente geral de Sustentabilidade da Lojas Renner, Eduardo Ferlauto.

Com o intuito de atingir a nova meta, a Lojas Renner terá um plano com ações baseadas em três pilares prioritários.

O primeiro se refere aos produtos com menor impacto produzidos a partir de matérias-primas menos emissoras, como materiais orgânicos e reciclados, garantindo sua origem por meio de certificados.

O pilar de produção mais limpa visa fomentar o uso de energia renovável em toda a cadeia produtiva, incluindo a continuidade do consumo corporativo de 100% de energia renovável por parte da varejista.

Já o terceiro pilar diz respeito à produção mais eficiente, visando incentivar as ações de eficiência energética e redução de perdas em toda a cadeia.

Além da atuação junto aos seus fornecedores têxteis, a Companhia também irá atuar junto aos seus fornecedores de logística, de forma a otimizar a sua malha e aumentar o uso de combustíveis menos emissores.

Para garantir o estabelecimento da meta alinhada com todos os requisitos técnicos da SBTi, definir as iniciativas necessárias para alcançá-la e também monitorar o andamento de suas ações, a Lojas Renner firmou uma parceria com a WayCarbon, principal consultoria em mudança do clima da América Latina.

Agora, a Companhia contará com o Climas, software que faz a gestão de emissões de GEE de modo automatizado e ágil, facilitando análises estratégicas e alinhadas com as ambições da agenda climática da varejista.

“Ao longo de mais de 1 ano, a Lojas Renner, em parceria com a WayCarbon, tem trabalhado no mapeamento das emissões de GEE na cadeia de valor e na identificação de ações focadas em redução para elaboração de um plano de descarbonização. A clareza de quais frentes são necessárias para atingir suas metas indicam que a empresa entende o tamanho do desafio e sabe como fará para honrar seus compromissos, que são tão ambiciosos quanto necessários para frear o aquecimento global”, diz a gerente de Estratégia de Mitigação da WayCarbon, Bruna Dias.

Cumprimento do primeiro ciclo dos compromissos de sustentabilidade

Há anos avançando em sua estratégia de sustentabilidade, a Lojas Renner acabou de divulgar que, no final de 2021, atingiu seu primeiro ciclo de compromissos públicos relativos ao tema, inclusive superando algumas das metas estabelecidas em 2018.

A Renner encerrou 2021 com 81,3% de itens de vestuário classificados como menos impactantes, um ponto porcentual acima do compromisso de 80% traçado.

Além disso, alcançou a marca de 99,15% de algodão certificado.

O compromisso de ter toda cadeia nacional e internacional de fornecedores com certificação socioambiental foi cumprido antes do prazo, em setembro, garantindo a adoção de melhores práticas amplamente legitimadas.

A Companhia também chegou ao final do ano com 100% do seu consumo corporativo de energia, que inclui prédios administrativos, CDs e lojas, proveniente de fontes renováveis de baixo impacto (a meta traçada era de 75%).

A Lojas Renner ainda havia se comprometido em reduzir em 20% as emissões de CO2 em relação aos níveis de 2017 – mais uma meta superada, pois ao término de 2021 alcançou uma redução de 35,4% frente ao ano base acordado.

Comentários estão fechados.