6 formas de prevenir o impacto ambiental no agronegócio
Mais do que uma simples leitura: é informação relevante, confiável e que gera conexão!

6 formas de prevenir o impacto ambiental no agronegócio

Com a expansão do agronegócio e a adesão do Brasil à COP-26, aumenta a preocupação com o impacto ambiental causada pela produção

O agronegócio é hoje o motor econômico do país e a medida que o setor se expande, cresce também a preocupação com o impacto ambiental.

A produção brasileira de soja, milho, carne bovina e carne de aves, por exemplo, bateu recordes nos dois primeiros anos da pandemia.

Em 2020, por exemplo, o setor foi responsável por 26,6% do PIB. E — ainda segundo dados da CNA (Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária) — movimentou US$ 110,7 bilhões de dólares em 2021.

Assim, o Brasil ficou responsável por alimentar mais de um terço do mundo.

O país participou da Conferência das Nações Unidas sobre as mudanças climáticas de 2021 (COP-26). Se tornando signatário da declaração de Diálogo Forest, Agriculture and Commodity Trade (Fact).

O objetivo é fazer cumprir as metas definidas pelo Acordo de Paris e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Entre as ações acordadas estão, por exemplo, apoio para que o pequeno produtor alcance pradões ambientais. Rastreio e transparência para certificar produtos sustentáveis. Além de pesquisa, desenvolvimento e inovação.

A importância do ESG no agronegócio

A sigla ESG em inglês significa environmental, social and governance. Ou seja, ambiental, social e governança em português.

Estes três pilares norteam o futuro das organizações.

Ao contrário do que muitos pensam, o agronegócio não se contrapõe ao meio ambiente.

De acordo com o pesquisador Evaristo de Miranda, da Embrapa, os produtores rurais preservam mais em seus imóveis que todas as unidades de conservação. São 20,5% dos agricultures contra 13% de parques.

Quanto ao social, de acordo com dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), o agronegócio gerou mais de 113 mil empregos em 2021.

O setor hoje soma 17,3 milhões de trabalhadores rurais. Ou seja, 20,1% do mercado de trabalho brasileiro.

Contudo, o maior problema até o momento está na governança.

As grandes empresas estão comprometidas com os princípios da sustentabilidade. No entanto, ainda falta infraestrutura para o produtor rural.

Meio ambiente e agronegócio: 6 passos para prevenir o impacto ambiental

As medidas visam principalmente uma agropecuária de baixo carbono. O Brasil espera zerar as emissões do gás até 2050.

Este objetivo passa por investimentos em tecnologia, mas também em técnicas mais adequadas como:

Recuperar pastagens degradas

Como visto, o agronegócio já atua na preservação do meio ambiente.

Ainda assim, existem 140 milhões de hectares de áreas degradas, segundo o Ministério do Meio Ambiente.

As lavouras podem ajudar na recuperação destas áreas. Diminuindo os efeitos da erosão e melhorando, portanto, a qualidade do solo.

Integrar lavoura, pecuária e sistemas agroflorestais

Para aumentar a produção não precisa derrubar as florestas.

A integração entre a agropecuária e os sistemais florestais podem resultar em efeitos positivos.

Este processo pode ser feito ou em cultivo consorciado ou em rotação.

Implementar o plantio direto

O Plantio Direto — ou seja com solo não revolvido ou na palha — permite a semeadora com menor envolvimento de máquinas. O que diminui a erosão do solo.

Além disso, também gasta menos água.

A adoção de rotação de culturas e cobertura do solo com palhada, por exemplo, nutre nutrientes para as lavouras.

Fazer fixação biológica do nitrogênio

A Fixação Biológica de Nitrogênio pode substituir o uso de nitrogênio no solo. Esta técnica fixa o nitrogênio do forma natural, a partir da interação natural de bactérias com as plantas.

Além de causar menos impacto ambiental, a Fixação Biológica do Nitrogênio reduz o custos com a produção.

Plantar florestas

Além de recuperar, plantar florestas também uma opção.

Do ponto de vista financeiro, as florestas podem ser utilizadas para produção madeira, celulose, papel e carvão vegetal, por exemplo.

Além disso, sequestram carbono da atmosfera. Auxiliando no objetivo de zerar as emissões de gases causadores do efeito estufa.

Tratar os dejetos dos animais

Por fim, tratar os dejetos de aves, bovinos e suinos reduz a poluição na água e no ar. Diminuindo, por exemplo, as emissões de metano na atmosfera.

Além disso, estes resíduos podem representar uma fonte de renda extra para os produtores.

Veja também:

Agro Paulista cresce em exportações e superávit aumenta 33,7%

Plano Safra 2022/23 será robusto, diz ministro Marcos Montes

Exportações do agronegócio em abril alcançam recorde para o mês, com US$ 14,86 bilhões

Comentários estão fechados.