10 lições de negócios inspiradas nas Olimpíadas - Revista Capital Econômico
Mais do que uma simples leitura: é informação relevante, confiável e que gera conexão!

10 lições de negócios inspiradas nas Olimpíadas

Os jogos olímpicos oferecem uma oportunidade extraordinária para o melhor da humanidade brilhar. Mais ainda quando acontece em meio à uma enorme crise global, como a pandemia do covid-19, que adiou em um ano a sua realização.

Nesta olimpíada de Tokyo, pudemos acompanhar histórias cativantes de sucesso e realizações com os mais de 300 eventos para 33 esportes diferentes.

Esse teste de determinação, combinado com a promoção da paz e senso de cooperação em toda a comunidade internacional, traz lições riquíssimas para as empresas – muitas das quais são recheadas de ideias para líderes corporativos e empreendedores de cara nova.

Vamos destacar 10 aprendizados que podem nos ajudar a refletir e fazer melhores escolhas nos negócios:

1. Não há espaço para amadores

Da mesma forma que atletas que alcançam o pódio, empresas precisam se dedicar pragmaticamente para atingir seus objetivos – e isto demanda tempo, recursos, treino intensivo, prática para além de teoria e apenas boa intenção.  Amadores nem passam na classificação inicial.

2. Idade não limita o sucesso

Vimos atletas de 13 anos como a Rayssa ganhando medalha no skate street, como também José Roberto, treinador da equipe de vôlei feminina aos 66 anos, em sua oitava olimpíada.

Não importa se você é uma startup ou uma empresa centenária – a diferença do caminho para o sucesso está no preparo, empenho, paixão, estratégia.

3. Determinação obstinada te leva além

Impressionante conhecer as histórias de refugiados como a da judoca Sanda Aldass que fugiu de sua casa em Damasco na Síria devastada pela guerra, onde foi separada do marido e do filho pequeno.

Os cenários nem sempre são favoráveis, as empresas que entram no jogo são as que aprendem a se fortalecer em ambientes de caos.

4. A hora é sempre agora

Não dá pra esperar terminar um objetivo para começar um sonho muito menos garantir que todos os componentes estejam milimetricamente alinhados: idade, data do acontecimento, disponibilidade de investimento, e por aí vai.

Nadine Apetz, fez história competindo como a primeira boxeadora da Alemanha enquanto perseguia seu doutorado em neurociência. O mesmo com a skatista francesa Charlotte Hym, a irlandesa Louise Shanahan estudando física quântica, entre vários outros atletas. As carreiras mudaram, a dinâmica das empresas e do mercado também. O sucesso começa hoje.

5. Nunca subestime sua concorrência

Observamos atletas e delegações consideradas favoritas não levarem medalha, como o vôlei masculino brasileiro, por exemplo. Por outro lado, o desconhecido jovem atleta tunisiano Ahmed Hafnaoui surpreendeu o mundo ao ganhar o ouro no nado livre masculino de 400 metros.

Quantas empresas conceituadas perderam espaço durante a pandemia por se sentirem seguras demais ou demorarem para rever suas decisões? E quantas outras se reposicionaram rapidamente se adaptando aos novos tempos? As varejistas que cresceram no ambiente online são ótimos referenciais.

6. Sempre defenda o que você acredita

Vários atletas levantaram discussões sobre a sexualização dos corpos das esportistas.

As ginastas alemãs, por exemplo, lutaram para usar uniformes que as fizessem se sentir mais seguras e confortáveis. Idem para as norueguesas, e vôlei de praia. Collants e biquínis foram trocados por macacões e shorts.

Respostas mais sinceras de atletas a jornalistas também tiveram destaque especial.

E a diversidade? Nunca foi tão mencionada como nesta olimpíada.

É preciso sabedoria para se posicionar individual e coletivamente. Empresas que defendem e praticam valores sustentáveis tem tido suas marcas e reputação mais reconhecidas pelos consumidores.

7. A ética e o respeito devem ser a base de qualquer relação

Desde o cuidado com a saúde e segurança durante a organização dos jogos, até os voluntários e as equipes olímpicas mostrando sua verdadeira grandeza em diversas ocasiões. Foram vários registros de atletas ajudando seus colegas, mesmo em situação de competição direta.

Este é um princípio do espirito olímpico que vale a pena ser aplicado nas empresas. O jogo limpo é o único caminho de empresas conscientes em busca da prosperidade coletiva.

8. Toda equipe vencedora precisa de um capitão vencedor

O capitão tem função decisiva na vitória do time – ele amplia a visão dos atletas, dando segurança quando necessário e incentivo quando os desafios parecem imbatíveis.

Mesmo com diferentes estilos de abordagem, acompanhamos os técnicos motivando a mudança dos atletas para adaptação a cenários adversos.

Os líderes empresariais também são a centelha necessária para incinerar a inércia em ação e levar a equipe na direção certa.

Quando tudo parece estar desmoronando, o líder empresarial precisa intervir e apresentar soluções rápidas para superar os obstáculos.

9. Conheça seus limites

Um dos temas mais comentados foi o comunicado da ginasta americana, Simone Biles, sobre seu afastamento de uma das provas onde ela era favorita, demonstrando autoconhecimento e coragem ímpares.

Sua atitude levou o tema saúde mental para patamares inimagináveis.

A dificuldade de mostrar vulnerabilidade do ambiente corporativo ainda é um desafio enorme. Ou era.

Com este episódio demos mais um passo na direção de podermos ser naturalmente humanos e admitir que todos temos limites, e eles precisam ser respeitados, a começar por nós mesmos.

10. Comemore as vitórias

Para além da vitória, é preciso celebrar a jornada também. Interessante observar o comentário da judoca brasiliense Ketleyn Quadros que saiu sem medalha, mas declarou:

“O que me deixa contente é ter dado o meu melhor. Foi uma jornada gigantesca, de muitas conquistas e eu tenho muito orgulho da caminhada”.

As empresas e líderes que valorizam os ganhos com os avanços são as que estão mais próximas de grandes impactos e das conquistas esperadas.

Os atletas olímpicos são universalmente conhecidos por sempre irem adiante, sem desistir. Eles continuam tentando e acreditando que podem vencer.

É isso o que as empresas e líderes devem fazer para ter sucesso. Toda empresa passa por momentos difíceis, mas o que diferencia a história dos maiores negócios dos negócios normais é que eles nunca desistem.

Continue seguindo em frente, continue acreditando! Sempre vai ter uma torcida pronta para aplaudir.

Comentários estão fechados.