Mais do que uma simples leitura: é informação relevante, confiável e que gera conexão!

Ministra Tereza Cristina recebe demandas dos setores da maçã, vinho e laticínios

Em comitiva por Vacaria, ministra da Agricultura recebe reivindicações do diretor superintendente da RAR

A RAR, idealizada por Raul Anselmo Randon, recebeu, neste final de semana (11 e 12/09), a ministra de Estado da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina Correa da Costa Dias, que deu continuidade à sua agenda pelo Rio Grande do Sul visitando as instalações na cidade de Vacaria.

Na ocasião, além de uma série de visitações para acompanhar as produções da empresa, a ministra recebeu demandas dos setores da maçã, do vinho e dos laticínios, através do diretor Superintendente RAR/RASIP, Sergio Martins Barbosa, que também é gestor de Agronegócios da Família Randon.

A reunião foi proporcionada através de um convite da RAR/RASIP diretamente à ministra e reuniu representantes da Associação Brasileira de Produtores de Maçã (ABPM) e da Associação Gaúcha dos Produtores de Maçã (Agapomi), da União Brasileira de Vitivinicultura (UVIBRA) e do Sindicato da Indústria de Laticínios do Rio Grande do Sul (Sindilat), levando pautas fundamentais para o desenvolvimento dos três setores. O diretor superintendente da RAR/RASIP destacou que a visita da ministra representou um marco muito grande para toda a cadeia produtiva.

“Uma pessoa bem sensível que conhece o setor. Conseguimos reunir os três setores e, ainda, mostrar para a ministra o que temos hoje por aqui, com um nível de primeiro mundo na nossa produção. Ficamos extremamente otimistas em ver a ministra levando reivindicações de cada setor. Tenho certeza de que vamos ter uma velocidade para os pleitos apresentados dos nossos segmentos”, afirmou.

A ministra salientou que a ideia é melhorar o Mercosul, adequando e modernizando, para que ele realmente funcione em bloco.

“Temos a legislação e temos o poder de conduzir, mas quem gera emprego e produção no Brasil são vocês, não somos nós. É claro que existem coisas simples e outras mais trabalhosas, mas nós vamos trabalhar com atenção e dedicação para vermos no que podemos avançar. Também com essa agenda conseguimos conhecer todo o sistema de produção da RAR e é muito impressionante, uma coisa de primeiro mundo. Dá muito orgulho em ter no Brasil uma empresa como essa”, afirmou Tereza Cristina, sobre as reivindicações apresentadas e as visitas na sede da RAR.

O principal objetivo da reunião foi debater resultados para progredir e garantir cada vez mais presença no mundo moderno dos negócios, além de proporcionar cada vez mais empregos para uma grande parcela da população brasileira. O diretor presidente da RAR/RASIP e vice-presidente das Empresas Randon, Alexandre Randon, comentou que foram dois dias muito proveitosos.

“Estamos muito felizes em contar com uma ministra que entende do setor, bastante interessada em conhecer cada vez mais e em fazer esforços para melhorar essas atividades. Como brasileiros queremos crescer e representar mais dentro e fora do país”, disse.

Revindicações

A ABPM e Agapomi apresentaram as seguintes reivindicações:

  • manter o mercado fechado para a maçã chinesa;
  • a importância do trabalho de inspeção na origem para a exportação;
  • a biofábrica para a produção de machos estéreis e inimigos naturais de mosca em Vacaria;
  • o debate da alternativa ao Dormex;
  • NR 31 sobre os tratores gabinados; a Lei Nº 14151, de 12/05/2021, sobre afastamento das atividades de trabalho presencial, sem prejuízo de remuneração, às empregadas gestantes durante a pandemia – com o contraponto de que a lei está obsoleta, uma vez que gestantes podem se imunizar e voltar ao trabalho;
  • o pedido de revisão das cotas de Menor Aprendiz para o agronegócio, já que a maioria das atividades são consideradas insalubres, restando as atividades em escritórios;
  • e um agradecimento à pasta pela abertura do mercado colombiano, antecipando que os próximos focos serão México, Indonésia e Tailândia.

Por parte do Sindilat, as pautas levantadas foram a Reforma Tributária, com foco na manutenção do programa Leite Saudável, além da denominação de produtos veganos que buscam identificação com o segmento lácteo.

Já a UVIBRA apresentou reivindicações em relação às leis de produção de vinho, destacando uma solicitação de cadastramento das vinícolas em âmbito nacional para que, assim, ocorra um controle de dados, já que, atualmente, o cadastro é feito anualmente.

Participaram da reunião, por parte do Ministério, além da ministra Tereza Cristina, Caio Dias (esposo da ministra), o secretário de Agricultura Familiar e Cooperativismo, César Halum, o diretor de Crédito e Informação, Wilson Vaz de Araújo, e o chefe da Assessoria Especial de Relações Governamentais e Institucionais, Edimilson Alves.

Representando a RAR estiveram presentes, além de Sergio Martins Barbosa e Alexandre Randon, o diretor da RAR (lácteos) e diretor do Sindilat, Angelo Paulo Sartor, e o diretor da RASIP e diretor técnico e de exportação da ABPM/Agapomi, Celso Zancan.

Em nome da Sindilat, o diretor executivo Darlan Palharini integrou o encontro, além dos representantes da UVIBRA, o presidente Deunir Luis Argenta e o diretor João Carlos Zanotto, e da ABPM/Agapomi, os conselheiros Francisco Schio e Francisco Schio Filho, o diretor de Logística e Mercado Interno, Arival Pioli, o diretor José Sozo e o diretor executivo Moises Albuquerque.

A programação da ministra por Vacaria iniciou na tarde de sábado (11) e se estendeu até o domingo (12).

Na oportunidade, Tereza Cristina realizou uma visita completa às instalações da RAR/RASIP: durante o primeiro dia, conheceu o pomar e acompanhou a ordenha, além de ser a principal convidada de um jantar na Casa da Fazenda.

Já no domingo, a ministra visitou o Centro de Confeccionamento – onde fica a câmara de maturação de queijos e onde são realizados os processos dos produtos lácteos, com direito ao corte do queijo de acordo com o “ritual italiano” e degustações de queijos da RAR -, além do Packing House – para acompanhar os processos de produção da maçã – e finalizou a agenda com a reunião de pauta com os setores, no auditório da RAR.

RAR

A RAR foi idealizada por Raul Anselmo Randon na década de 1970 e hoje é a terceira maior produtora e comercializadora de maçã no Brasil.

Em 1990 montou a primeira fábrica de queijo Tipo Grana fora da Itália, lançando o Gran Formaggio.

Ministra-Tereza-Cristina-na-RAR-Packing-house-das-macas (1)
Visita ao packing house, na produção das maçãs
Renata Ulguim/Camejo Comunicação/Divulgação RAR

O portfólio conta com linha de importados (queijos e acetos italianos, presuntos e salames italianos e espanhóis, azeites de oliva chilenos) e a RAR Gourmet, com creme de leite fresco, manteiga e queijo parmesão.

Com sede em Vacaria (RS), a RAR ainda conta com 19 rótulos entre vinhos e espumantes e azeite de oliva e vinagre de maçã orgânico de produção própria.

Confira a loja virtual www.spacciorar.com.br.

Comentários estão fechados.