Mais do que uma simples leitura: é informação relevante, confiável e que gera conexão!

Desenvolve SP injetou R$ 1,1 bi em micro, pequenas e médias empresas paulistas

Banco do Empreendedor, instituição financeira do Estado de São Paulo, aumentou o número de atendimentos em 825% em relação ao ano passado devido às necessidades geradas pela pandemia

O crédito foi o grande aliado das empresas para atravessar os meses mais difíceis da pandemia. No caso das micro, pequenas e médias, o instrumento foi ainda mais fundamental. Em São Paulo, o Desenvolve SP, instituição financeira do Governo do Estado, disponibilizou R$ 1,1 bilhão em capital de giro e atendeu 825% mais empresas que em 2019. O banco ajustou sua política de crédito – voltada principalmente ao financiamento de projetos inovadores e sustentáveis – para atender à necessidade de capital de giro decorrente da falta de liquidez das empresas.

“O auxílio emergencial das empresas é o capital de giro”, é o que acredita Nelson de Souza, Presidente do Desenvolve SP. A instituição foi a primeira a oferecer um plano de apoio aos impactos financeiros gerados pela pandemia. Em três meses, a demanda do Desenvolve SP superou a soma de 11 anos de operações, com aumento de 2.161% em abril e maio em comparação a março e fevereiro. Em comparação com o ano anterior, o número de operações cresceu 825% – de 360 em 2019 para 3.036 em 2020.

A atuação do Desenvolve SP foi alinhada ao Plano São Paulo, estratégia do Governo do Estado de São Paulo para a retomada segura e eficaz da economia. As ações foram divididas em três fases: Resposta (3 a 6 meses), Recuperação Econômica (6 a 12 meses) e Sustentação (12 meses a 3 anos).

Ainda em março, o banco lançou linhas de crédito com condições excepcionais, incluindo uma exclusivamente destinada aos setores mais impactados pela crise do coronavírus – turismo, cultura e economia criativa e comércio.  Além disso, criou um fundo garantidor próprio como alternativa para empresários que não possuem garantias reais suficientes para serem utilizadas nas operações de crédito, e anunciou standstill – congelamento das parcelas vincendas – para todos os clientes.

Captação inédita

Em paralelo ao lançamento das linhas de giro emergenciais, a empresa intensificou o trabalho de captação de recursos nacionais e internacionais, no propósito de disponibilizar mais crédito e melhores condições ao empreendedor paulista. Em um feito inédito, firmou parceria com o CAF – banco de desenvolvimento da América Latina, no valor de US$ 50 milhões. É a primeira vez que uma agência de fomento brasileira, sem o suporte da garantia Soberana, capta diretamente no mercado internacional. A operação foi feita com hedge cambial, em que o banco internaliza o valor em reais e empresta ao empreendedor sem o risco de oscilações.

O aporte abastece linhas já operadas pelo Desenvolve SP e os recursos são destinados aos setores público e privado. No setor privado, o financiamento é, principalmente, para projetos com foco em inovação, aumento da produtividade empresarial, eficiência energética, energias renováveis e inclusão financeira. No setor público, os municípios serão atendidos em projetos de infraestrutura econômica e social com ênfase em melhorias de vias públicas, iluminação e saneamento.

O banco paulista está também em negociações com o International Finance Corporation (braço do Banco Mundial para o setor privado), com o New Development Bank (Banco de Desenvolvimento dos Brics) e com o Banco Interamericano de Desenvolvimento, além da busca de novos recursos junto ao BNDES e ao FINEP.

Turismo

No início de setembro, o Ministério do Turismo e o Desenvolve SP fecharam acordo para destinação de mais R$ 400 milhões pelas linhas do Fundo Geral do Turismo – Fungetur. O aditivo amplia a capacidade de auxiliar a recuperação e retomada de um dos setores mais impactados pela pandemia.

Através do Desenvolve SP, os recursos são disponibilizados por meio de linhas de crédito com condições facilitadas – taxas reduzidas e prazos estendidos. As empresas podem solicitar crédito para capital de giro e financiamento para projetos de investimento, máquinas e equipamentos. As condições das três linhas Fungetur compreendem juros reduzidos de 0,41% ao mês e prazo estendido de até 120 meses, com até 36 de carência, além de garantia por meio do Fundo Garantidor e aval dos sócios.

Desenvolvimento sustentável

Em paralelo ao socorro às empresas com capital de giro, o Desenvolve SP realizou o maior desembolso de sua história para obras do programa Novo Rio Pinheiros por meio da linha de crédito Economia Verde, voltada ao apoio a projetos sustentáveis. O financiamento, no valor de R$ 70 milhões, foi liberado para a execução do projeto de infraestrutura de coleta de esgoto na bacia do Jaguaré e sua ligação às residências. A iniciativa vai melhorar a qualidade de vida de 58 mil famílias.

O projeto atende a vertentes dos 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da ONU (ODS), agenda de ações que devem ser implementadas em todos os países do mundo até 2030 e que compõem as diretrizes do plano estratégico da empresa, juntamente com o compromisso com o fomento à inovação.

Em junho, o desenvolvimento de um novo método de exame molecular que detecta a Covid-19 a preço acessível (cerca de R$ 95), feito pelo laboratório brasileiro Mendelics em parceria com o Hospital Sírio-Libanês, obteve investimento do Desenvolve SP via Fundo de Investimento em Participações (FIP). A empresa Tempest Security Intelligence, que nasceu como startup e cresceu com financiamento do Desenvolve SP, recebeu em 2020 o maior investimento já realizado na história do setor de cibersegurança na América Latina, em contrato assinado com a Embraer.

Para saber mais, acesse o site: desenvolvesp.com.br

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.