Mais do que uma simples leitura: é informação relevante, confiável e que gera conexão!

Análise dos impactos econômicos e políticos em Abril

Abril foi um mês marcado por inúmeros fatos (econômicos e políticos) que em momentos balançaram demais os mercados em abril e alguns deles terão seus próximos episódios em maio.

Em resumo, abril foi bom para os mercados brasileiros, americanos e quiçá chineses. Sim, um mês que temos que olhar o “copo meio cheio” talvez, mas os números não me deixam mentir:

ANO: 2020 ABRIL ACUMULADO ANO
RENDA FIXA
SELIC 0,28% 1,30%
CDI 0,28% 1,30%
POUPANÇA 0,22% 0,98%
RENDA VARIÁVEL
IBOVESPA 10,25% -30,39%
ÍNDICE SMALL CAPS 10,15% -34,07%
FUNDO IMOBILIÁRIO IFIX 4,39%

-18,58%

DOLAR U$ 4,69% 35,66%
EURO € 4,02% 32,69%
OURO B3 11,94% 45,77%
INFLAÇÃO
IGP-M 0,80% 2,50%
IPCA -0,11% 0,42%

 

O Índice Ibovespa subiu +10,25% em abril, o que podemos comparar aos +12,7% dos índices S&P500 e +6,2% do Euro STOXX 600.

Tá, mas e o dólar ?

Ao infinito e além!  Sim, com essa celebre frase justifico de forma simples e singelamente aceitável pelo mercado.

1º – Não é bem o dólar que está subindo, são as moedas dos emergentes que, desde de 2019, vem se desvalorizando,  e adivinha? O Brasil é um eterno gigante adormecido (para sempre). E o motivo é a “aversão ao risco”, entre outras coisas que vamos comentar. Continua lendo aí.

2º – Quem quer JUROS ?

Em 2016, investia-se dinheiro no Brasil a uma taxa de até 14,25% ao ano de forma segura, através de títulos públicos.

O Brasil era uma vitrine da ZARA com 90% de liquidação! O mundo inteiro queria trazer seu dinheiro para deixar guardadinho aqui, que, apesar dos riscos fiscais e políticos que o Brasil apresentava (e quando não?), o “Prêmio pelo risco” para o investidor valia muito a pena.

Leia Também: Reforma tributária e alta do dólar: como reduzir custos em 2020 com a tecnologia

Atualmente “o investir” tem acesso ao mesmo título, porém a uma taxa de 3,75% ao ano. E hoje, alguém quer JUROS? Então, a fuga do investidor estrangeiro aumentou, fazendo ele vender REAL para comprar DÓLAR (a qualquer preço) e voltar para sua origem pois agora o ‘Prêmio por risco” não é mais assim tão vantajoso.

3º – As Commodities que antes valiam e puxavam nossa moeda para cima, agora ajudam a afundá-la um pouquinho mais. A razão é que o Brasil exporta produtos e importa outros, e nesta relação de preço, elas acabam desfavorecendo ainda mais nossa moeda, trazendo uma pressão do próprio mercado.

Abril, Dólar subiu +4,69 e Maio…

bom, se esses três pontos acima continuarem, a tendência é que o Real se desvalorize ainda mais. Vamos acompanhar.

Maio abriu!

Maio já começa com agenda cheia:

  • Reunião do COPOM (pesquisa de mercado pela BLOOMBERG divulga que tem 65% de chance de um curte hoje de 50 bps, e 35% de um corte de 75 bps).
  • Reunião do FONC;
  • Resultados das empresas do primeiro tri de 2020 continuam já no início da semana;

Mundo

Christine Lagarde, presidente do banco central europeu, já sinalizou que o o PIB da zona do euro pode despencar até 15 pontos. Porém deixou claro para o mercado que a injeção de recursos segue e seguirá com força total.

– Nos EUA idem, mais e mais enxurrada de dinheiro para o mercado. E o PIB um pouco menos pior, eu diria.

– FakeNews – Saiu (novamente) que a China iria trocar a moeda de relação comercial (dólar) para institucionalizar a sua moeda como única aceitável. Mais uma vez alguém espalhando algo, tentando colocar a China em evidência negativa. (Não precisa, a CHINA já faz isso sozinha, sem ajuda de Fake News).

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.