Mais do que uma simples leitura: é informação relevante, confiável e que gera conexão!

O papel do líder no retorno ao trabalho

Empresas precisam lidar com as adversidades impostas pela pandemia para retomar suas atividades no ambiente de trabalho

Com a flexibilização das regras do isolamento social em algumas cidades brasileiras, as atividades econômicas estão voltando ao ritmo. O cenário exige que as empresas que desejam voltar a desempenhar suas operações em seus escritórios se adaptem à nova realidade imposta pelo novo Coronavírus.

A retomada dos trabalhos exige que as entidades reorganizem todo seu processo de trabalho levando em conta que os gestores de equipe precisam desenvolver uma nova forma de realizar suas ações, liderar com os anseios de seus colaboradores e gerar um ambiente seguro e agradável para obter o melhor rendimento dentro do seu campo de atuação.

De acordo com a pesquisa sobre as expectativas dos empresários no retorno às atividades presenciais divulgada pela KPMG, 49,58% dos entrevistados não sentiu qualquer alteração em relação ao volume de produtividade. Outros 24,52% avaliaram que a produtividade aumentou cerca de 20%; e 9,42% acreditam que houve uma melhora superior a 20% na entrega de resultados. Mas para 10,8% foi notada uma diminuição de até 20 na produtividade dos colaboradores, ou algo superior a este índice para 5,68% dos empresários consultados. O estudo foi realizado com reuniu a opinião de 722 empresários de todo o país.

Para a administradora da Oficina Coworking, Ana Carolina Salmi, o desafio na retomada ao escritório foi grande e várias ações para o retorno a rotina foram realizadas para preservação da saúde da equipe.

“Não foi fácil, mesmo seguindo e divulgando o protocolo de segurança dentro do escritório. Optamos em alterar o horário das colaboradoras, mas ainda tem um desconforto. A minha primeira atitude, foi explicar os protocolos e deixá-las seguras, alterar o horário de entrada e saída, justificar o motivo do retorno. Elas estão fazendo no momento jornada reduzida”, explica a gestora.

O especialista em liderança e gestão Sergio Lopes explica que uso de diferentes estilos no exercício da liderança durante a gestão de equipes pode ajudar o líder a administrar questões como a insegurança e outras demandas que possam influenciar no ritmo de produtividade e resultados. “Ajustados às mais diversas situações do cotidiano as variadas formas de liderar, podem auxiliar na elevação da autoestima e confiança dos liderados e consequentemente impulsionar os resultados”.

Sobre Sergio Lopes

Criador do modelo Performance Total (Propósito + Competência + Resultados = Performance Total) e Co-autor do livro “Os Loucos Geram Mais Resultados” Resultado, lançado em 2018. Sergio Lopes é formado em Administração de Empresas, Fronteiras do Management – Fundação Dom Cabral; Innovative Negotiation Strategies – William Ury / HSM; Update in Strategic Management – Wharton School / Seminarium; Update in Organizational Behavior – Wharton School / Seminarium; Change Management – GEO/SLB; Gestão pela Qualidade Total – Vicente Falconi; Lead Assessor ISO 9000 – SGS; Resolução Criativa de Desafios – ILACE;

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.