Mulheres começam a desbravar o mercado de afiliados

Conheça cases de mulheres que estão despontando em um segmento predominantemente masculino

0
150
Mulheres- comecam-a desbravar-o- mercado-de- afiliados

São Paulo, 8 de março – Hoje é comemora-se o Dia Internacional da Mulher, e anualmente a ONU Mulheres define uma temática para ser trabalhada na ocasião. Este ano, a data teve como tema central a tecnologia e inovação.

De acordo com a ONU Mulheres, a inovação e tecnologia trazem oportunidades sem precedentes, no entanto, as tendências atuais indicam que as lacunas digitais estão se ampliando e que as mulheres estão representadas de maneira insuficiente nos campos da ciência, tecnologia, engenharia, matemática e design.

A proposta da entidade é mostrar como a inovação pode eliminar barreiras e trabalhar em favor da igualdade de gênero. E a capital mineira abriga uma empresa de tecnologia que é um exemplo de instituição que conta com a atuação de mulheres em um mercado ainda pouco explorado por elas. Abaixo, conheça cases de mulheres que estão despontando em um segmento predominantemente masculino. Fernanda, Patrícia ou Aline. Elas são ainda exceção em um mercado tão promissor como o de afiliados. Trata-se de um segmento que só cresce no Brasil e que movimenta milhões todos os anos. Mas apesar do exponencial crescimento o segmento ainda possui presença quase que predominante masculina, situação que deve ser diferente nos próximos anos se depender de algumas desbravadoras desta regra.

“Este é um mercado com pouquíssimas mulheres. Aliás, hoje esta é, inclusive, uma das minhas missões à frente da Monetizze: trazer mais mulheres para o setor que é extremamente masculinizado”, reforça Fernanda Campos, 37 anos, sócia-fundadora da Monetizze e diretora de Relacionamento Estratégico da empresa, especializada em gestão estratégica, atendimento ao cliente e SEO (Search Engine Optimization). Ela conta que exatamente por ser mulher, estimula a participação das mulheres no time de colaboradores de sua empresa em cargos de liderança. “Hoje 45% dos nossos tripulantes são mulheres. Temos mulheres em todas as áreas e só não temos mais colaboradoras porque, realmente, garimpar mulheres para a área de desenvolvimento – que é uma das que mais temos contratados – é difícil. Mas não desistimos. Estamos em constante busca e também atualmente estamos iniciando um projeto de estímulo da entrada de mulheres em nosso mercado de afiliados (que ainda é formado quase que só por homens). Estamos em conexão com iniciativas de empreendedorismo feminino para fazer isso crescer. Esse é um tema que investimos muito”.

Fernanda ressalta que algumas características femininas são fundamentais neste segmento. “Como meu negócio é relacionamento estratégico eu creio que isso é da essência feminina: o cuidar, o zelar pelo outro, trazer pra perto. Ter essa visão feminina, o olhar para os detalhes, faz com que seja muito mais natural desenvolver estratégias de efetiva experiência para nossos clientes, colaboradores e mercado”, explica. Para a sócia-fundadora essa essência do relacionamento estratégico é o grande diferencial da empresa. “E essa diferenciação é da essência feminina, exatamente pela própria sensibilidade da mulher e porque os homens são muito práticos e pouco atentos aos detalhes. Este olhar para o ser social, o ser humano foi essencial para cumprir a meta de que não queríamos ser a maior plataforma (podemos até ser, mas não temos a meta megalomaníaca de ser apenas grandes) e sim ser a melhor plataforma do mercado de afiliados”.

De concursada em Brasília a produtora

Prícia Leal, 37 anos, casada, mãe de dois filhos, já fez várias coisas em sua vida profissional. De fazer trabalhos acadêmicos para os amigos da faculdade que não tinham tempo, passando por papel artesanal, professora de curso de auxiliar administrativo, até passar em dois concursos públicos em Brasília.

Mas apesar de toda esta experiência e um emprego público. Patrícia tinha um sonho: ser uma empresária de sucesso. “Foi aí que eu decidi ter o segundo filho que nasceu em julho de 2015. No dia que fui ter o bebê eu estava assinando um contrato de trabalho com meu atual programador. Para ele desenvolver minha Startup de Turismo. Chamada Friend’s Trip. Mas, quando meu filho Caio tinha apenas 2 meses de vida eu descobri o marketing digital, sem querer, através do Conrado Adolpho. Como não tinha dinheiro para pagar um curso no valor médio de R$ 3.000,00. Eu decidi como sempre: estudar sozinha”. Autodidata, Patrícia começou assistindo vídeos de madrugada. “Como queria lançar a minha startup fui fazer minha primeira lista de clientes com um lançamento semente. Em julho de 2016 lá estava eu reunindo vários guias de turismo do mundo todo para gravar vídeos e colocar no webinar agendado. E foi isto que fiz. Mas, só uma pessoa comprou meus vídeos. Fiquei arrasada!”

Após um mês e tudo aconteceu na vida de Patrícia. “Em vez de começar com afiliada, eu já quis ser produtora. Do produto que mais vendia na Monetizze: O ageless. Na verdade eu não vendia. Mas, tinha uma afiliada que vendia muitoooo. E através dela: A Jamille Lima que realmente aprendi a ser uma produtora. Com seus conselhos e broncas. Para quem nunca passou de 10.000 por mês de vendas numa empresa formal, seja na de tours para escolas, na de formatura. Ver o dinheiro entrando pelas vendas pela internet foi sensacional”.

“Eu me defino como uma mulher que consegue antever as tendências do mercado, de criar produtos e estruturar a empresa. Como a maioria das mulheres que estão no mercado hoje. Sei que são poucas. Pode contar no dedo a quantidade que existe. Mas, elas são fortes. Para estar num mercado que é predominantemente masculino. Ser forte para mim é a característica mais marcante das mulheres hoje que estão no marketing digital. Hoje, depois de três anos de puro aprendizado eu só tenho a agradecer a comunidade que me ajudou, me ensinou tudo o que eu sei. Na verdade, me ensinou mais que duas faculdades juntas e muitos livros de marketing lidos. Trago um recado para as mulheres que querem entrar neste mercado: tem que ser forte e persistente. Pois, o que você mais terá que vencer são os obstáculos de aprendizado em tecnologia. Mas, em contrapartida, terá mil homens (comunidade) prontos para te ajudar”, conclui.

Grupo Monetizze

Formado pela ViaNet e Monetizze, o Grupo Monetizze conta com as seguintes soluções: Fantástiko Marketplace Imobiliário, que atua no desenvolvimento de soluções para uma imobiliária, desde o desenvolvimento de site até os sistemas de gestão. E a Monetizze, solução para pagamento online, seja para produtos físicos ou digitais.

A empresa Monetizze é referência no mercado de afiliados e produtores digitais. Por dois anos consecutivos, 2017 e 2018, a empresa foi eleita a melhor plataforma de infoprodutos do país. A premiação foi realizada no maior congresso de Marketing de Afiliados da América Latina, o Afiliados Brasil.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Digite seu comentário
Digite seu nome aqui