Debêntures: o que são e como investir - Revista Capital Econômico
Mais do que uma simples leitura: é informação relevante, confiável e que gera conexão!

Debêntures: o que são e como investir

Conheça mais sobre essa modalidade de investimento

Você já ouviu falar das Debêntures? Para quem está buscando diversificar a carteira de investimentos, elas podem ser uma boa opção.

Entretanto, é preciso ter o mínimo de conhecimento sobre o assunto, antes de se aventurar e colocar seu capital em risco.

O que são debêntures e como elas funcionam

As debêntures são títulos de dívida de médio e longo prazo, que começam a contar depois de 2 anos.

Elas não podem ser emitidas pelos bancos, que têm um título semelhante (CDB), somente por empresas privadas.

Seu funcionamento é bastante simples e os valores para começar a investir estão cada vez mais acessíveis para todos os perfis de investidores.

O investidor empresta seu dinheiro a uma certa empresa que, na hora de pagar, acrescem os rendimentos e correção ao valor.

Esse tipo de negócio é vantajoso para ambas as partes, já que as empresas captam recursos e os investidores obtêm seu lucro.

Qual a diferença entre as debêntures e ações?

Tanto as Debêntures quanto as ações contam com emissão das empresas para conseguir recursos para o funcionamento de suas operações.

No entanto, é necessário estabelecer as diferenças entre as duas, a começar pelo tipo de segmento que elas integram.

  • Debêntures fazem parte do setor de títulos de renda fixa;
  • As ações fazem parte dos títulos de renda variável.

Ademais, ao comprar ações, o investidor se torna uma espécie de sócio da empresa em questão.

Já no caso da Debêntures, o investidor é um credor, que empresta dinheiro à empresa em troca de lucros e correção.

Qual a diferença entre as debêntures incentivadas e as comuns

Outra dúvida comum acerca das Debêntures, é a diferença entre dois tipos desse investimento: as comuns e as incentivadas.

As debêntures incentivadas têm origem em empresas em busca de recursos para projetos de infraestrutura, como portos e aeroportos.

O que fez com que o governo concedesse esse benefício fiscal, que por sua vez, é então repassado aos investidores, através da isenção de impostos.

Já as chamadas debêntures comuns operam de forma a cobrar Imposto de Renda regressivo.

Ou seja, quanto maior o tempo de investimento, menos cobrança de impostos. No entanto, esse cálculo leva em conta somente a rentabilidade do investimento.

Debêntures: como escolher e investir

Para investir em debêntures, seja ela comum ou incentivada, é só fazê-lo então por meio da compra dos títulos.

Outra maneira de começar a investir nesse segmento, é por meio de um fundo de investimentos.

Em qualquer uma das alternativas, será preciso fazer então a abertura de uma conta em uma corretora de imóveis de sua confiança.

Quais os riscos de se investir nessa modalidade

Apesar de oferecer liquidez e taxas competitivas, as debêntures podem oferecer certos riscos.

Elas não possuem proteção do Fundo Garantidor de Créditos (FGC) contra possíveis calotes das empresas emissoras.

Sendo assim, isso significa que, em caso de falência ou calote da empresa, você perderá todo seu capital investido.

Antes de investir, estude e se informe a respeito de como e onde aportar seu dinheiro. Assim, você obtém resultados melhores e com rendimentos aprimorados.

Veja também:

Fundo de investimento imobiliário: o que é e como investir em FIIs

Tokenização revolucionará a economia, segundo CEO da Stonoex

PicPay lança plataforma de câmbio e transferência internacional

Comentários estão fechados.