Câncer de próstata: cerca de 20% dos casos são diagnosticados em estágio avançado - Revista Capital Econômico
Mais do que uma simples leitura: é informação relevante, confiável e que gera conexão!

Câncer de próstata: cerca de 20% dos casos são diagnosticados em estágio avançado

Rede de Hospitais São Camilo SP apoia campanha Novembro Azul para ampliar conscientização da população sobre a importância dos exames preventivos

Considerado o segundo tipo mais comum entre os homens (atrás apenas do câncer de pele não-melanoma), o câncer de próstata representa 29% dos diagnósticos da doença no Brasil.

Os dados são do Inca (Instituto Nacional do Câncer), que apontam ainda para mais de 65 mil novos casos a cada ano. Com início assintomático, muitas vezes o tumor só é descoberto em estágios avançados, aumentando o risco de óbito.

Segundo o último levantamento do Instituto, esta foi a segunda principal causa de morte por câncer no país, levando a óbito 15.893 brasileiros.

O urologista da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo Dr. Caio Cintra destaca que os exames preventivos são fundamentais para evitar este cenário.

“Estudos revelam que cerca de 20% dos diagnósticos do câncer de próstata ocorrem tardiamente, índice que pode ser combatido com o acompanhamento periódico”, explica.

Dr. Álvaro Bosco, urologista que também atua na Rede São Camilo SP, ressalta que a pandemia e o isolamento fizeram com que muitos homens deixassem de fazer o exame preventivo. “Em 2020, identificamos uma redução de 70% dos exames laboratoriais de PSA (Antígeno Prostático Específico) e de toque retal na Rede.”

Dados de uma pesquisa realizada pela Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) indicam que, em função da pandemia, 55% dos homens acima de 40 anos deixaram de fazer alguma consulta ou tratamento médico.

Para o paciente Ernesto, 67 anos, manter a rotina de cuidados foi o que possibilitou um diagnóstico em estágio inicial. A alteração na próstata foi identificada pelo Dr. Caio logo no começo da pandemia, durante o exame de toque.

“Meu pai e irmão mais velho tiveram a doença, por isso sempre fiz o acompanhamento regularmente. Apesar de ter ficado preocupado com o diagnóstico no começo, o médico me tranquilizou explicando que, por ter descoberto no início, as chances de cura eram altas”, conta.

Outro obstáculo comum para a realização dos acompanhamentos periódicos é o preconceito ainda presente em nossa cultura. “Os homens, em geral, ainda enfrentam dificuldade de lidar com a questão e evitam o exame do toque, por exemplo, pois a supervalorização da atividade sexual e o medo da impotência ainda são um peso para muitos pacientes”, afirma Dr. Álvaro.

Casado e pai de três filhos adultos, sendo dois deles homens, Ernesto não abre mão de cuidar da saúde. “Meu recado a todos os homens é: livrem-se do medo e do preconceito, pois ter uma vida saudável é fundamental”, aconselha. Ao descobrir o câncer no início, o paciente optou pela cirurgia de retirada total da próstata e hoje segue fazendo o acompanhamento com o especialista.

Grupo de risco e primeiros sinais

Segundo os médicos, homens com idade acima de 55 anos, com excesso de peso e obesidade, estão entre os mais propensos a desenvolver a doença, além de fatores como o envelhecimento e a hereditariedade.

“Alguns sinais passam despercebidos, como incômodo ao urinar e dificuldades de ereção, que podem ser confundidos como sinais comuns ao avanço da idade”, destaca Dr. Caio.

Dessa forma, ele frisa que os pacientes com histórico familiar devem fazer o exame de toque retal anualmente e/ou o exame de sangue para avaliar a dosagem de PSA a partir dos 45 anos, cinco anos antes em comparação a quem não tem casos na família.

Novembro Azul

Com o objetivo de ampliar a conscientização da população sobre a importância do cuidado à saúde masculina e estimular divulgações sobre prevenção e tratamentos, a Rede São Camilo SP adere anualmente à campanha Novembro Azul, iluminando suas fachadas durante todo o mês, além de gerar conteúdos nas redes sociais e promover ações voltadas aos seus colaboradores.

A instituição conta com centros de diagnósticos em suas Unidades, permitindo que o paciente realize as consultas médicas e os exames necessários num único local.

Os especialistas do Hospital São Camilo destacam que a campanha é uma forma de promover uma mudança de hábitos e a quebra de paradigmas, como o medo de ir ao urologista e se submeter ao exame de toque, por exemplo.

Além do câncer de próstata, o exame retal também é capaz de diagnosticar a hiperplasia prostática benigna (HPB), também conhecida como aumento prostático sem câncer, principal problema da próstata em homens a partir dos 50 anos.

Vale ressaltar ainda que, quanto mais cedo o exame for realizado, maiores as chances de cura. “Se detectado rapidamente, o câncer de próstata pode ser curado em 90% dos casos”, finaliza Dr. Álvaro.

Sobre a Rede de Hospitais São Camilo

Especializada na assistência em saúde baseada em valor, a Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo conta com 6 unidades, que prestam atendimentos em mais de 60 especialidades, cirurgias de alta complexidade e transplantes de medula óssea.

São 3 unidades de hospital geral, 1 especializada em oncologia e 2 em reabilitação e cuidados paliativos. A Rede conta também com um Núcleo de Pesquisa Clínica que é referência no país, sendo considerado Top Recruitment – o maior recrutador de pacientes com mais de 40 estudos patrocinados na área de Oncologia.

Os hospitais privados da Rede subsidiam as atividades de cerca de 40 unidades administradas pela Sociedade Beneficente São Camilo e que atendem pacientes do SUS (Sistema Único de Saúde) em 15 Estados brasileiros.

No Brasil desde 1922, a Sociedade Beneficente São Camilo, que pertence à Ordem dos Ministros dos Enfermos, foi fundada por Camilo de Lellis e conta, ainda, com 25 centros de educação, dois colégios e dois centros universitários.

Siga o Hospital São Camilo nas redes sociais: @hospitalsaocamilosp

Comentários estão fechados.