6 áreas promissoras no mercado tech - Revista Capital Econômico
Mais do que uma simples leitura: é informação relevante, confiável e que gera conexão!

6 áreas promissoras no mercado tech

Lugar de mulher é onde ela quiser, especialmente na área de tecnologia. Programação, tecnologia da informação, business intelligence, desenvolvimento de novos produtos e marketing online são alguns dos diversos setores em que as mulheres se destacam com grandes contribuições.

E para quem quer ingressar na área, separamos uma lista com seis profissionais que explicam sobre a sua carreira e seu dia a dia. Confira:

Marketing online

Glaucia Hora é gerente de marketing da CM.com, empresa holandesa recém-chegada ao Brasil. Glaucia combina suas habilidades únicas em marketing com sua paixão por usar a tecnologia.

“Eu fui parar no mercado de tecnologia por ter tido uma vivência de morar e estudar fora e ao acompanhar a tendência de outros mercados que estavam à frente do Brasil percebi que tinha muita oportunidade para trabalhar neste ramo. Não sabia ao certo qual o tipo de tecnologia, mas tinha preferência para empresas que ofereciam soluções na nuvem e softwares”, afirma.

A especialista conta que traçou o objetivo de trabalhar com tecnologia e a partir disso se candidatava apenas para vagas que tivessem a ver com o seu propósito.

“Eu sempre fui muito objetiva e sonhadora. Por vim de uma família humilde não tinha muitas pessoas como referência, mas a minha mãe sempre me ensinou a correr atrás dos meus sonhos por meio de muito trabalho, estudo e foco”, comenta Glaucia.

Sempre atenta às novas demandas, Glaucia afirma que se mantém atualizada sobre novas tecnologias e inovações que vão desde Artificial Intelligence, Internet das Coisas (IoT), Chatbot, Machine Learning, Blockchain, CDP (Customer Data Platform) até Metaverso.

Entre as demandas diárias, Hora é responsável por liderar a estratégia geral de marketing para o Brasil em campanhas de Field Marketing, Geração de Demanda, Partner Marketing e Brand Awareness.

Além disso, atua diretamente com o gerenciamento de campanhas 360°, sendo 100% digitais em todas as principais plataformas e canais de mídias sociais, elabora análises de mercado e tendências, além de desempenhar suporte consultivo gerencial e prospecção de novos leads.

Líder de marketing e mãe ao mesmo tempo

Head de Marketing na Sinqia, líder em softwares e inovação para o setor financeiro no Brasil, Renata Marini tem histórico extenso em empresas de tecnologia e entende bem como é atuar em um setor majoritariamente masculino.

Formada em Administração de Empresas, ingressou como estagiária na IBM e por lá permaneceu por 14 anos. Renata alçou grandes voos dentro da empresa, chegando à posição de Gerente de Marketing LATAM.

Após sua longa passagem por uma empresa de TI, a Head de Marketing decidiu vivenciar outros desafios. Ainda dentro do Marketing, migrou para o segmento de Turismo, mas a pandemia fez com que Renata mudasse seus planos “O setor sofreu muito por conta da Covid-19, e optei por retornar para o TI, segmento no qual tenho expertise e uma grande paixão”, comenta.

Na Sinqia desde 2020, Renata celebra por fazer parte de uma grande empresa nacional e com estratégia acelerada de crescimento.

“É fascinante fazer parte de uma companhia que está na contramão do mercado – contratando, crescendo e se consolidando como líder.”

A Head ainda reforça que trabalhar em regime home office fez toda a diferença, pois engravidou logo após sua contratação. Hoje, é mãe do Fernando, também conhecido como Fefo, de 9 meses.

Poder conciliar a maternidade com a função de liderança em uma empresa de Tecnologia traz desafios diários da vida de Renata.

Segundo ela, as mulheres sempre carregam grandes adversidades ao longo da vida profissional, pois precisam mostrar o tempo todo o quanto são capazes.

“As barreiras, quando impostas dentro da naturalização do machismo, contribuem para inibir o lugar de protagonista que a mulher deve ocupar em suas áreas de atuação, com as competências cabíveis. As mulheres ainda carregam a responsabilidade da dupla jornada, ou seja, são profissionais e cuidam da casa e dos filhos. Buscando também equilibrar sua vida pessoal e profissional desde cedo, as líderes compreendem a necessidade de flexibilização para resolver as questões do dia a dia, o que dá a elas vantagem na hora de enxergar respostas alternativas, modificar, contornar ou romper padrões e processos rígidos”, analisa.

Renata pontua que as mulheres são as que mais usufruem dos benefícios da flexibilidade oferecidos pelas empresas, para melhor ajustarem a rotina.

Também orienta que é de extrema importância que as profissionais que atuam dentro do corporativo de uma empresa de TI, entendam o core business para conseguir ser um apoio eficaz na companhia, e que aprendam a trabalhar com os clientes internos que são, em grande maioria, homens.

Expansão do negócio

Para a chegada da Tembici, líder em tecnologia para micromobilidade na América Latina, a novas praças e ampliação de novos negócios, de forma estruturada e com uma pauta muito embasada em estudos e análises, Marina Melemendjian assumiu recentemente como CGO (Chief Growth Office).

O cargo foi criado devido ao crescimento, somado à previsão de ainda mais aceleração da empresa em 2022. O novo modelo de gestão é focado na interconexão entre as áreas da empresa.

“O principal desafio da posição de CGO, principalmente atuando no segmento de tecnologia para micromobilidade e em uma empresa em hipercrescimento como a Tembici, está muito ligado à execução.

As novas ideias e oportunidades são inúmeras e, neste contexto, é fundamental garantirmos a tomada de decisão baseada em dados, além da qualidade de entrega e execução desses projetos dentro das expectativas futuras”, explica a executiva.

Com relação à carreira, Marina afirma sempre ter buscado novos desafios, e diversificar sua atuação dentro de novos mercados e contextos.

“Minha trajetória começou com foco no mercado financeiro trabalhando em bancos e fundos de investimento. Em um segundo momento, desenvolvi uma série de skills com foco na carreira executiva, passando por posições como CFO, Diretora de M&A, Novos Negócios e Relações com Investidores, onde eu pude ter uma visão 360o. De uma forma geral, nessas experiências, minhas atuações foram todas muito ligadas à expansão”, complementa.

Presença feminina em meio aos números e tabelas

Sócia e diretora comercial da fintech CashU, Natalia Alexandria começou a trabalhar desde os 14 anos. Em 2003, a executiva ingressou no mercado financeiro, onde trabalhou por 10 anos, com passagens em renomados bancos, atuando até em um grupo financeiro de Toronto e algumas fintechs, e desde então a sua jornada segue neste segmento, conhecido pela forte presença masculina.

“Fiz duas migrações na minha vida. A primeira quando o mercado financeiro tradicional estava passando por uma crise, e o ecossistema de inovação no Brasil estava em crescimento. Aproveitei esse momento para me recolocar profissionalmente e agregar meus conhecimentos ao mercado financeiro e o que adquiri na área comercial em Fintech. A segunda migração aconteceu mais recentemente, quando fiz a escolha de voltar para o mercado tradicional, porém após 10 meses a falta de dinamismo, de representatividade, de agilidade, e de inovação me fizeram retornar para o ecossistema de inovação integrando ao time da CashU. Toda a minha trajetória foi inspirada na minha mãe que sempre foi um sinônimo de empoderamento feminino para mim e fui atrás em tudo aquilo que converse com a minha história, com valores que acredito. Hoje eu posso dizer que estou onde eu sempre quis pelos meus méritos e não pelo meu gênero”, pontua Natalia.

Meio de pagamento para negócios digitais

Betina Wecker é co-fundadora e VP de Novos Negócios na Appmax, startup gaúcha que oferece um conjunto de soluções feitas para maximizar os resultados de negócios digitais.

Com o olhar voltado para transformar a vida de milhares de empreendedores digitais, a jovem gaúcha sempre se arriscou para conseguir chegar até o seu momento atual.

Ao lado de seu irmão, Betina fundou seu primeiro e-commerce voltado para a área de beleza e com faturamento de R$ 150 milhões com seus e-commerces percebeu um déficit no mercado em que estava atuando e decidiu criar sua própria plataforma de pagamentos online. Betina é a mulher à frente da fintech que com apenas três anos de história já atingiu a marca de mais 12 mil sites atendidos e R$ 1 bilhão transacionados.

“Empreender sempre esteve na minha mente, durante todos esses anos precisei enfrentar os desafios por ser mulher, ser jovem e ainda assim estar inserida em um universo comandado por homens.

Diariamente, temos a missão de desconstruir a ideia e mostrar que tem espaço no mercado para aquelas que estão dispostas a não se apegarem nas limitações impostas, mas sim em fazer o seu melhor e atingir seu máximo potencial.

Fico imensamente feliz em ver o crescimento no número de mulheres que estão na liderança de grandes corporações. O futuro é nosso e está cada vez mais perceptível”, comenta Betina Wecker.

Liderança feminina no setor da construção civil

A tecnologia sempre esteve presente na carreira de Iris Freund, atuando como diretora de marketing na Tul, startup colombiana que acabou de desembarcar no Brasil com o objetivo de ser a principal plataforma de comércio eletrônico B2B que otimiza a cadeia de suprimentos de materiais de construção em mercados emergentes.

Nos últimos oito anos, Iris foi a responsável por operacionalizar a área de marketing, desenvolvendo estratégias de posicionamento capazes de tornar as empresas em que atuava como líderes no mercado B2B e B2C.

Em experiências anteriores, liderou as operações da Uber e também do WeWork. Na Uber, foi a primeira contratada no Brasil com a missão de iniciar a operação e auxiliar no crescimento, conquistando um aumento de zero a 1 milhão de corridas por semana em pouco tempo.

Hoje, é responsável por toda a área de comunicação da Tul e deseja realizar com a construtech o mesmo feito de suas experiências anteriores, auxiliando e promovendo um crescimento ainda maior em sua operação.

“A tecnologia faz parte de toda a minha carreira, nos últimos anos pude colaborar para que grandes empresas de tech conquistassem seu espaço no setor de atuação. Carrego na minha rotina a missão de transformar e ajudar na construção da história da empresa em que atuo. Com a Tul, uma nova história está sendo construída com o início das operações no Brasil”, comenta a diretora.

Apesar do setor da construção ser composto por homens, é possível perceber uma grande movimentação das mulheres neste setor. Com operações na Colômbia, Equador e México, é perceptível perceber que o número de mulheres à frente de lojas de materiais para construção vem crescendo em um ritmo acelerado.

Comentários estão fechados.