Os cinco principais jogadores, do passado e do presente do Dérbi de Madrid - Revista Capital Econômico
Mais do que uma simples leitura: é informação relevante, confiável e que gera conexão!

Os cinco principais jogadores, do passado e do presente do Dérbi de Madrid

Real Madrid e Atlético de Madrid estão há anos na primeira prateleira do futebol mundial e, como consequência disso, alguns dos melhores jogadores do planeta disputam o emblemático dérbi da cidade. Aqui estão cinco que fizeram a diferença na última década.

Raúl (Real Madrid, 1994-2010)

Quando criança, Raúl esteve nas categorias de base do Atlético de Madrid, mas trocou de clube na capital espanhola ainda na adolescência e, depois de terminar sua formação como jogador de futebol no Real Madrid, defendeu o time por mais de uma década e meia, até o aparecimento de Cristiano Ronaldo, que elevou o recorde de gols nesta partida.

O português marcou 22 vezes no dérbi. Raúl foi o artilheiro do clássico junto com a lenda Ferenc Puskás, com 11 gols marcados. Quando fez dois gols e deu duas assistências na vitória por 4-1, o dérbi daquele dia ganhou o apelido de “Noite de Raúl”.

Karim Benzema (Real Madrid, 2009-presente)

O ‘9’ francês é um dos maiores nomes de todos os tempos do Real Madrid: o jogador estrangeiro com mais presenças e um dos quatro melhores artilheiros da história do clube.

Deixou a sua marca na história do Derby de Madrid com uma atuação emblemática no último derby disputado no Vicente Calderón, nas semifinais da Liga dos Campeões de 2017 (2-1).

O Real Madrid garantiu sua vaga na final depois que Benzema driblou três zagueiros de classe mundial, Godín, Savic e Giménez, em apenas uma polegada de espaço. Um momento inesquecível no último jogo europeu na icônica casa de longa data do Atleti.

Paulo Futre (Atlético de Madrid, 1987-1993 e 1997-1998)

Segundo colocado no prêmio Bola de Ouro e contratado em 1987, Futre se tornou uma lenda do Atlético. O dérbi, parecia tirar sempre o melhor do jogador.

Ele não só marcou no primeiro clássico na vitória por 4-0 no Santiago Bernabéu, mas também na vitória por 2-0 sobre Los Blancos na final da Copa do Rei de 1992, usando a braçadeira de capitão.

Miranda (Atlético de Madrid, 2011-2015)

O Atlético de Madrid não venceu nenhum dérbi entre 1999 e 2013. Os Colchoneros ficaram 25 jogos sem derrotar o vizinho antes de espantar o fantasma na final da Copa do Rei de 2013, também disputada no Santiago Bernabéu.

Na prorrogação, com o empate em 1 a 1, o zagueiro do Atleti, Miranda fez o gol da vitória, se tornando uma lenda do clássico da capital.

Ele dedicou o gol ao filho, que, segundo ele, não ia mais ser importunado na escola por causa da seca de 14 anos.

Sergio Ramos (Real Madrid, 2005 – 2021)

Outro zagueiro artilheiro, Sergio Ramos partiu o coração dos torcedores do Atlético em Lisboa e Milão, nas finais de Champions League, que estas equipes disputaram em 2014 e 2016.

Na primeira, ele empatou nos acréscimos com uma cabeçada, forçando a prorrogação, que terminou em 4-1 para Los Blancos. Dois anos depois, Ramos abriu o placar em uma partida em que o Real Madrid ganhou nos pênaltis.

Na última final entre os dois (Supercopa da Espanha 2019), voltou a marcar o gol decisivo no desempate nas cobranças de pênalti, garantindo mais um título ao Real Madrid.

principais-jogadores02 (1) (1)
Sobre a LaLiga

Fundada em 1984, a LaLiga é uma associação esportiva que compreende as 42 equipes que compõem a primeira e segunda divisão do futebol profissional em Espanha.

LaLiga, com sede em Madrid, é responsável pela LaLiga Santander, LaLiga SmartBank e pela produção televisiva, que na temporada 2018/2019 chegou a mais de 2.7 bilhões de pessoas em todo o mundo.

Com sede em Madrid (Espanha), está presente em 41 países através de 11 escritórios e 44 delegados, abrangendo 84 países.

A associação realiza sua ação social por meio de sua Fundação e é a primeira liga de futebol profissional do mundo com uma liga para jogadores de futebol com deficiência intelectual: LaLiga Genuine Santander.

Comentários estão fechados.